UAI
Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Valadares: greve na limpeza urbana acaba, mas ruas continuam cheias de lixo

A greve foi suspensa nesta quarta-feira, mas como há muito lixo acumulado pelas ruas desde a semana passada, os coletores não estão dando conta de recolher tudo


07/07/2021 20:47 - atualizado 07/07/2021 20:53

As sacolas de lixo ficam espalhadas de um lado e do outro da Avenida Tancredo Neves, no Bairro Santa Efigênia
As sacolas de lixo ficam espalhadas de um lado e do outro da Avenida Tancredo Neves, no Bairro Santa Efigênia (foto: Tim Filho/Esp. EM)
A greve dos trabalhadores que atuam na coleta de lixo em Governador Valadares  foi suspensa nesta quarta-feira (7/7) por decisão da Justiça do Trabalho, que determinou o retorno de 100% do efetivo ao trabalho.
 
Caso houvesse descumprimento da decisão judicial, o Sindicato dos Empregados em Turismo e Hospitalidade, Asseio e Conservação de Governador Valadares e Região (Sethac-GV) teria de pagar multa diária de R$ 10 mil, a contar a partir da data da intimação.
O Sethac-GV acatou a decisão e o seu presidente, José Carlos Vieira, disse que a Dpark Soluções Ambientais e Serviços Ltda., empresa responsável pela coleta de lixo na cidade, se comprometeu a fazer os depósitos mensais do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ( FGTS ).
 
A empresa também comprou, segundo o Sethac-GV, os equipamentos de proteção individual dos coletores, que ainda não chegaram, mas em breve serão entregues ao todos. São uniformes, calças, camisas, camisetas, botas e luvas.
 
Com a volta ao trabalho, a coleta na cidade foi retomada, mas como há muito lixo pelas ruas, a previsão é que a limpeza seja normalizada só no fim de semana.

Em todos os bairros da cidade, nas portas das casas, nas lixeiras e até nos troncos das árvores tem sacos plásticos com lixo.
 
A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (SMOSU) informou que os pagamentos do município para a empresa D’park estão em dia, inclusive os restos a pagar anterior a 2017 foram pagos.

Assim, a Dpark recebeu R$ 8.525.575,01 e a Pavotec R$ 1.192.711,88, totalizando R$ 9.718.286,89. As duas empresas atuam em consórcio.
 
Sobre os motivos que levaram (e levam) a empresa a não cumprir os compromissos com os trabalhadores, a explicação será dada pela diretoria nesta quinta-feira (8/7), por meio de nota, segundo informou o departamento jurídico da DPark.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade