Publicidade

Estado de Minas PELO CELULAR

Saiba como pagar passagem com QR Code nos ônibus de BH

Forma de pagamento já está disponível a partir de hoje (1º/6) por meio de um aplicativo


01/06/2021 12:34 - atualizado 01/06/2021 12:54

O QR Code vale por apenas 30 minutos e pode ser usado somente na estação ou linha selecionada(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
O QR Code vale por apenas 30 minutos e pode ser usado somente na estação ou linha selecionada (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Quem utiliza os ônibus de Belo Horizonte tem mais uma opção de pagamento a partir desta terça-feira (1º/6): o QR Code, por meio do celular. O anúncio foi feito pelo Consórcio Operacional do Transporte Coletivo de Passageiros por Ônibus do Município de Belo Horizonte (Transfácil). 

O QR Code é um código de barras que funciona por aproximação do celular e já é usado de várias formas pelos usuários dos smartphones, seja para pagamento, segurança, abertura de links, ou para abrir o WhatsApp Web, por exemplo.

A Transfácil explica que quem quiser pagar a passagem dessa forma deve baixar o aplicativo “KIM+” na Google Play ou App Store e se cadastrar. Já na tela inicial, clicar na opção “Comprar QR Code” para carregar os créditos. O pagamento pode ser feito por cartão de crédito, transferência, depósito, boleto bancário ou Pix.

Como usar

  • Após a compra de créditos, clique na opção “QR Code Transporte”, em seguida na opção “Usar QR Code” e indique onde vai embarcar

  • Selecione onde será o embarque e digite o nome da estação ou número da linha (Estação Pampulha ou Linha 6350, por exemplo), e finalize na opção sim “Gerar QR Code” 

  • Para liberar a catraca os passageiros devem aproximar o código gerado na tela do celular para a câmera do validador. Após a leitura, a catraca será liberada
A Transfácil explica que o QR Code vale por apenas 30 minutos e pode ser usado somente na estação ou linha selecionada. Se o código for aberto no celular e não utilizado, o valor é creditado no aplicativo novamente, após 24 horas. 

O consórcio também destaca que o pagamento por QR Code não é válido para integração de linhas, em suplementares e nas estações do metrô. O aplicativo KIM também oferece recargas e rotas de ônibus. 

Entre fevereiro e março, algumas linhas e estações da capital receberam testes para outra modalidade de pagamento da tarifa para celulares. Ele foi aprovado, segundo a Transfácil, mas está em fase de negociações.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade