Publicidade

Estado de Minas ATENÇÃO, USUÁRIO

BH reduz oferta de centros de saúde com funcionamento 24 horas

Em vez de nove unidades, prefeitura vai manter o expediente em apenas três, nas regionais Pampulha, Venda Nova e Barreiro; demanda diminuiu nas últimas semanas


20/05/2021 19:35 - atualizado 20/05/2021 20:06

-->-->-->-->

Centro de Saúde Carlos Chagas, no Centro-Sul de BH, deixará de funcionar 24 horas a partir desta segunda (24/5)(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 16/04/2020)
Centro de Saúde Carlos Chagas, no Centro-Sul de BH, deixará de funcionar 24 horas a partir desta segunda (24/5) (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 16/04/2020)
 

A partir desta segunda-feira (24/5), apenas três centros de saúde vão funcionar de maneira ininterrupta em Belo Horizonte. Portanto, outros seis que tinham expediente 24 horas voltarão a atender somente no horário normal, das 6h30 até as 19h.

 

Dessa maneira, continuam com expediente de 24 horas os centros de saúde Barreiro de Cima (Praça Modestino Sales Barbosa, 100 - Flávio Marques Lisboa, no Barreiro), Santa Terezinha (Rua Senador Virgílio Távora, 157 - Santa Terezinha, na Pampulha) e Santa Mônica (Rua dos Canoeiros, 320 – Santa Mônica, em Venda Nova).

 

Os seis centros de saúde que retomam o atendimento normalmente são os da lista abaixo:

 

  • Centro de Saúde Carlos Chagas: Avenida Francisco Sales, 1.715 - Santa Efigênia, Região Centro-Sul;
  • Centro de Saúde São Geraldo: Avenida Itaituba, 318 - São Geraldo, Região Leste;
  • Centro de Saúde Cachoeirinha: Rua Borborema, 1.325 - Cachoeirinha, Região Nordeste;
  • Centro de Saúde Carlos Prates: Rua Frederico Bracher Júnior, 103 – Carlos Prates, Região Noroeste;
  • Centro de Saúde Aarão Reis: rua Oliveira Fortes, 40 - Aarão Reis, Região Norte;
  • Centro de Saúde Vila Imperial: rua Guilherme P. Fonseca, 350 - Madre Gertrudes, Região Oeste;

 

A medida de ampliar o funcionamento das unidades de saúde começou em março, quando Belo Horizonte viveu o colapso do seu sistema público e privado. A ideia era desafogar as Unidades de Pronto-Atendimento (UPA).

 

Dessa maneira, os centros de saúde serviam apenas para o atendimento de outras doenças, não ligadas ao sistema respiratório.

 

No total, as unidades 24h realizaram cerca de 25 mil atendimentos, segundo números da gestão Alexandre Kalil (PSD). Nas UPAs, considerando março e abril, a redução na procura foi de 34%.

 

Mesmo com os resultados positivos, a redução da demanda nas últimas semanas motivou a redução do expediente nas seis unidades de saúde listadas acima.

 

A Secretaria Municipal de Saúde informa que registrou 742 atendimentos em 26 de abril. Já no dia 3 de maio, 637 pessoas procuraram as unidades. E no dia 10 de maio, apenas 485.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade