Publicidade

Estado de Minas UMIDADE BAIXA

Nevoeiro e chuvas fracas atingem Minas nesta segunda-feira (3/5)

Termômetros marcam temperaturas mais baixas e há chance de chuviscos em áreas isoladas do estado


03/05/2021 07:49 - atualizado 03/05/2021 09:16

Belo Horizonte amanhece com céu claro e algumas nuvens. Vista da Rua Professor Morais com Avenida Getúlio Vargas região da Savassi(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Belo Horizonte amanhece com céu claro e algumas nuvens. Vista da Rua Professor Morais com Avenida Getúlio Vargas região da Savassi (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Na primeira segunda-feira (3/5) do mês de maio, o céu deve ficar nublado, com temperaturas mais baixas, e em algumas regiões, a névoa fica mais intensa principalmente no início da manhã. Há possibilidade de chuvas fracas na faixa norte de Minas Gerais e a umidade do ar poderá diminuir até ao final da semana.

Em Belo Horizonte, os termômetros marcaram a menor temperatura, durante a madrugada, registrando 13 ºC na Estação do Cercadinho, que fica na Região Oeste da cidade. Já a máxima não deve passar dos 26 ºC nesta segunda. A umidade do ar está prevista para ficar em 35% no período de maior aquecimento e o céu fica claro com poucas nuvens na capital.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), nas Regiões Jequitinhonha e Mucuri, poderá ocorrer chuvas fracas durante o período da tarde e noite. Já nas regiões da Zona da Mata, Campos das Vertentes, Sul e Sudoeste, o céu fica parcialmente nublado com névoa úmida ao decorrer do dia.

A temperatura mínima registrada em Minas foi no município de Monte Verde, Região Sul, com 5,2ºC, e a máxima prevista no estado, é na região do Norte e Triângulo Mineiro, que poderá chegar a 32ºC.

Nas outras áreas, o céu fica claro a parcialmente nublado, e não há previsão de chuvas. A umidade do ar nas regiões do Triângulo e Norte de Minas fica em 30%.

As temperaturas começam a subir um pouco a partir da quarta-feira (5/5), quando a temperatura máxima do estado vai subindo gradativamente e a umidade do ar tem uma queda, ficando inferior a 30% na Região do Triângulo Mineiro.

*Estagiária sob supervisão do subeditor Daniel Seabra


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade