Publicidade

Estado de Minas MANIFESTAÇÃO

Preso durante ato bolsonarista em BH desabafa: 'Ditadura bateu na porta'

Acusado de jogar ovo em manifestantes durante passeata em BH, homem foi liberado na noite deste sábado (1º/5) após ser detido por policiais militares em casa


01/05/2021 23:08 - atualizado 02/05/2021 00:12

Capital teve manifestação bolsonarista neste sábado(foto: Tulio Santos/EM/DA Press)
Capital teve manifestação bolsonarista neste sábado (foto: Tulio Santos/EM/DA Press)
"Eu temo pela minha vida, a ditadura bateu na minha porta. Foi uma ação política". Foi o que disse o analista de segurança de informação Filipe Cezario, de 32 anos, detido pela polícia militar após ser acusado de jogar ovo contra bolsonaristas em Belo Horizonte, durante uma manifestação neste sábado (1º/5).

Ele foi liberado pela polícia na noite deste sábado, após passar mais de sete horas na delegacia. Ele entrará com um processo por difamação, calúnia e danos morais.


O caso ocorreu quando a carreata pró-Bolsonaro passava pela Avenida Afonso Pena, no Centro de Belo Horizonte. Centenas de apoiadores do presidente se reuniram neste feriado do Dia do Trabalho. Muitos deles pedindo intervenção militar, em ato antidemocrático.

O protesto começou por volta das 10h, com marchas militares. Moradores de prédios da Avenida Afonso Pena, contrários ao movimento, bateram panela e jogaram ovos nos manifestantes.

Por volta de 12h40, a polícia – acompanhada de manifestantes – foi até a portaria do prédio do homem.

Alegando que se tratava de um flagrante, pois havia supostas imagens que mostravam um morador jogando ovos da janela, os policiais subiram até o apartamento. O deputado estadual Bartô (Novo) foi até a porta da residência de Filipe. "Fui completamente surpreendido", contou.

"Estávamos lavando louça na cozinha quando formos surpreendidos pelos policiais e um deputado na minha porta. Eles gritavam de forma muito desrespeitosa", acrescentou a jovem que mora com ele. 


No apartamento do rapaz, o policial anunciou a voz de prisão. "Ele não deixou nem eu beber uma água, me puxou com força, me algemou. Eu tinha trabalhos para fazer durante à tarde! Ele me colocou em um camburão e me expôs aos riscos da COVID-19", criticou Filipe. ''O policial agiu de forma arbitrária, não havia flagrante nenhum", acrescentou a jovem que mora com Filipe.  


Detido sem mandado de prisão e com base apenas no testemunho dos manifestantes, o homem prestou depoimento na Central de Flagrantes (Ceflan) da Polícia Civil, que fica da Rua Conselheiro Rocha, no Bairro Floresta, Região Leste de BH. Eles chegaram por volta das 13h e só foram liberados por volta das 21h. 

 O deputado estadual Bruno Engler (PSL) postou um vídeo nas redes sociais pedindo que pessoas denunciem aqueles que jogaram ovos da janela.

 Moradores do prédio relatam provocações feitas pelos manifestantes que passavam na rua contra diversas pessoas que estavam nas janelas. Agressivos, homens desciam dos carros e das motocicletas pra ordenar que moradores descessem para agredi-los. "Eles gritavam: vocês estão todos f*didos", relatou a moradora.

 O Estado de Minas entrou em contato com Polícia Militar, mas ainda não teve retorno até a publicação desta matéria.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade