Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Com queda na taxa de transmissão, Itabira reabre atividades não essenciais

Abertura de novos leitos também proporcionou Itabira a retornar da onda roxa para a onda vermelha


26/04/2021 15:19 - atualizado 26/04/2021 16:37

Todas as atividades comerciais estão permitidas em Itabira, desde que respeitem a capacidade máxima de 30% de lotação (foto: Prefeitura Itabira/Divulgação )
Todas as atividades comerciais estão permitidas em Itabira, desde que respeitem a capacidade máxima de 30% de lotação (foto: Prefeitura Itabira/Divulgação )
Itabira, na Região Central de Minas, registrou em março a pior situação da pandemia do novo coronavírus, com a taxa de ocupação dos leitos dos seus hospitais ultrapassando os 100%. Agora, a cidade começa a respirar aliviada diante dos índices da COVID-19 e, desde domingo (25/4), está na onda vermelha, do Programa Minas Consciente do governo do Estado. As atividades consideradas não essenciais voltam a funcionar.
 
Com abertura de novos leitos de UTI e enfermaria e queda no ritmo de infecção, o município apresenta momento epidemiológico diferente daquele do início de março, quando a prefeitura adotou a onda roxa. 

“Hoje temos em Itabira um momento epidemiológico diferente daquele que tínhamosquando entramos para o Minas Consciente. Nosso sistema de saúde está mais preparado e o índice de transmissão em queda. Vale lembrar que aderimos à onda roxa com dias de antecedência em relação às outras regiões do estado, o que nos permite hoje tomar a decisão de deixar a microrregião, seguir a macro e migrar para a onda vermelha”, diz o prefeito Marco Antônio Lage.
 
O ritmo de transmissão (Rt), que era de 1,27 em 8 de março, caiu para 0,83 na última quinta-feira (22/4), o menor índice apurado em 2021. Isso significa que um grupo de 100 pessoas pode infectar até 83 pessoas, o que representa a desaceleração da pandemia.

Na comparação entre os registros dessa sexta-feira (23/4) e a de 14 dias atrás (10/4), a média móvel de casos confirmados caiu 62,8% (era de 145,5 e reduziu para 54) e a de óbitos recuou 55,8% (caiu de 4,85 para 2,14).
 
Além disso, a abertura de novos leitos nos hospitais Carlos Chagas (HMCC) e Nossa Senhora das Dores (HNSD) se refletiram na queda do índice de ocupação, tanto nas UTIs quanto em enfermarias.

Segundo último boletim epidemiológico divulgado pela secretaria municipal de Saúde no domingo (25/4), a ocupação de UTIs está em 79% e a de enfermarias em 46%. Há ainda, a previsão de abertura de mais dez leitos de UTI no HNSD, previstos para a próxima semana.
 
“É um passo importante que a gente consegue dar, mas que pode ser perdido se esta flexibilização for encarada com desleixo. Não podemos correr o risco de retroceder. Por isso, população, empresários e Poder Público precisam adotar todas as medidas sanitárias necessárias. O uso de máscaras, o distanciamento e a higienização de mãos e superfícies não podem ser deixados de lado. Precisamos manter o patamar que alcançamos e avançar, não regredir”, alerta a secretária municipal de Saúde, Luciana Sampaio.
 

Principais mudanças na onda vermelha

 
Fica permitida a atividade de hotelaria e afins obedecendo ao limite de 30% da capacidade máxima. Bares e restaurantes poderão funcionar das 9h às 22h, com 30% da capacidade máxima e distanciamento de 2m entre as mesas. Não será permitida a entrada de pessoas sem máscara. Está proibido o autosserviço.
 
Está permitida a realização de eventos com até 30 pessoas, respeitando o distanciamento de 3 metros lineares. É obrigatória a utilização de máscara durante todo o evento. 

Os estabelecimentos comerciais poderão funcionar das 9h às 18h respeitando a capacidade máxima de 30%, com distanciamento de 3m entre as pessoas. É necessário evitar a aglomeração. Os templos religiosos deverão controlar a entrada de pessoas, permitindo apenas 30% da capacidade máxima do local. Fica permitido o funcionamento das atividades extracurriculares e de cursos livres, das 7h às 21 horas, de segunda-feira a sábado, com capacidade de 30% do público. 
 
Continuam com funcionamento sem alterações de acordo com o decreto anterior as seguintes atividades: centro de condutores, salões de beleza, barbearias, clínicas, centros de estéticas e espaços de beleza, clubes sociais (apenas para serviços relacionados a atividades físicas), registros fotográficos, academias de ginástica e outros estabelecimentos de serviços relacionados à práticas de atividades físicas (apenas atividades individuais). 
 
Na onda vermelha, todos os estabelecimentos devem adotar medidas de segurança como o álcool em gel ou líquido 70% na entrada e saída dos clientes; garantir o distanciamento de 3m lineares entre as pessoas, evitando a aglomeração; disponibilizar material de higiene e equipamento de proteção individual, como máscaras, luvas e demais equipamentos recomendados para a manutenção da higiene pessoal dos funcionários.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade