Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Microrregião de Ouro Preto permanece com medidas mais rígidas da onda roxa

O Comitê Extraordinário COVID-19 de Minas Gerais decidiu nesta quinta-feira (22/04) que Ouro Preto, Mariana e Itabirito continuarão na onda roxa até maio


22/04/2021 18:25 - atualizado 22/04/2021 19:20

Na Santa Casa de Ouro Preto, hospital referência da região, o aumento dos leitos de UTI anunciados no início da onda roxa não foram suficientes para abaixar a taxa de ocupação (foto: Reprodução/Google Street View)
Na Santa Casa de Ouro Preto, hospital referência da região, o aumento dos leitos de UTI anunciados no início da onda roxa não foram suficientes para abaixar a taxa de ocupação (foto: Reprodução/Google Street View)
O Comitê Extraordinário COVID-19 de Minas Gerais, grupo que avalia semanalmente a situação da pandemia no estado, decidiu nesta quinta-feira (22/04) que a microrregião de Ouro Preto permanecerá na onda roxa do Plano Minas Consciente por, pelo menos, mais uma semana, com prorrogação partir de sábado (24/04) até (01/05).  
 
Ouro Preto, Mariana e Itabirito, Região Central de Minas Gerais, estão na onda mais restritiva desde 16 de março. A ampliação dos leitos de UTI da Santa Casa de Ouro Preto, de 10 para 20, anunciados no início da onda roxa, não foram suficientes para abaixar a taxa de ocupação, que permanece em 100%. A diminuição da taxa seria um indicativo para uma onda menos restritiva.
 
Dessa forma, a rede hoteleira continua sem permissão de receber turistas, o comércio não essencial permanecerá fechado e os cultos religiosos presenciais permanecerão proibidos.

As atividades essenciais comerciais só poderão funcionar dentro do horário estabelecido, com toque de recolher de segunda-feira à sexta-feira, das 20h às 5h, e aos sábado e domingos, das 17h às 5h.

Onda roxa em Ouro Preto

Durante esse período, Ouro Preto passou dois feriados importantes para o calendário da cidade de portas fechadas – Semana Santa e dia de Tiradentes – e as restrições durante esse período não foram suficientes para conter o avanço da doença.

Nos 36 dias de onda roxa, foram 736 casos novos de COVID-19 e 25 mortes confirmadas no período, com um total de 82 vidas perdidas pela doença. 
 
Se compararmos os 15 dias que antecederam o início da onda roxa na cidade, que compreendem 1º de março a 15 de março, a cidade registrou apenas três mortes e 248 casos.

Nos dias 1º a 15 do mês de abril, já na onda roxa, são 10 mortes e 401 casos. A diminuição nos casos de morte aconteceu na última semana, entre 16 a 22/04, com apenas um óbito.

Onda roxa em Mariana

Em Mariana, com uma população de 61 mil habitantes, 13 mil pessoas a menos que em Ouro Preto, segundo o IBGE, a quantidade de casos confirmados é superior. Os casos confirmados chegaram a 6.827 e o total de mortes pela doença já são 66. Nos 36 dias da onda roxa, foram registrados 1.226 novos casos e 20 mortes pela doença.  

No Hospital Monsenhor Horta, a taxa de ocupação dos leitos clínicos destinados aos pacientes com COVID-19 está em 90%. Na Santa Casa de Ouro Preto, quatro pacientes de Mariana estão internados em leitos de UTI e um paciente no leito de isolamento.


Onda roxa em Itabirito

Em Itabirito, outra cidade que pertence à microrregião de Ouro Preto, já são 10.295 casos confirmados de COVID-19 e a cidade já chegou à marca de 100 vidas perdidas nesta quinta-feira (22/04), sendo que 46 delas foram nos 36 dias da onda roxa. Das três cidades, Itabirito é a que tem menor número de habitantes, 52 mil. 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade