Publicidade

Estado de Minas Assassinato

Homem que matou mulher com 11 tiros se entrega à polícia

Assassinato, em Santo Antônio dos Araújos, foi motivado por desentendimento em uma festa


13/04/2021 20:24 - atualizado 13/04/2021 21:37

Matador entrou de penetra em uma festa onde a vítima estava e depois a reencontrou em um bar, onde cometeu o crime(foto: PCMG/Divulgação)
Matador entrou de penetra em uma festa onde a vítima estava e depois a reencontrou em um bar, onde cometeu o crime (foto: PCMG/Divulgação)

Um homem, de 36 anos, suspeito de ter matado, por motivo fútil, uma mulher, de 26, no povoado de Santo Antônio dos Araújos, em São Sebastião do Maranhão, Leste de Minas, se entregou à polícia nesta terça-feira (13/4). Ele estava em Santa Maria do Suaçuí.

 

Tudo começou em uma festa em um sítio, em 7 de março. A vítima foi surpreendida pelo agressor, que foi ao local, mesmo sem ser convidado.

Ele ficou ali, conversando com as pessoas que conhecia. Depois de algum tempo, o homem se despediu. Nesse instante, a vítima voltou-se para o penetra e disparou: “Vai com Deus”.

Segundo os registros policiais, o homem iniciou, então, uma discussão com a mulher. A confusão foi apartada por convidados da festa, que o conveceram a ir embora.

Algumas horas depois, terminada a festa, a vítima e alguns amigos se reuniram em um bar, momento em que o suspeito chegou de carro e pediu um copo de bebida.

 

Quando a vítima foi servi-lo, o suspeito sacou um revólver calibre 38 e disparou três tiros à queima-roupa, acertando a mulher na costela.

Bastante ferida, ela tentou correr, mas foi alcançada pelo homem, que efetuou mais três tiros em seu rosto. Em seguida, recarregou a arma e efetuou outros disparos no corpo da mulher, já caída.

 

Violência

 

Foram 11 disparos, segundo o delegado Douglas Mota, que conta que o agressor ameaçou outras pessoas que estavam no bar.

“Ele falou que tinha bala para todo mundo e, em dado momento, sacou uma faca. Disse que se a vítima não morresse no tiro, morreria na faca, tentando cortar o pescoço da mulher, que já estava morta no chão. O agressor só deixou o local devido à intervenção de uma das testemunhas, que o convenceu a ir embora.”

 

Em seu depoimento, o criminoso, que estava acompanhado de seu advogado, confirmou ter matado por motivo fútil, devido à fala da vítima.

“As investigações seguem para apurar também a dissimulação do suspeito ao pedir à vítima um copo de cerveja, aproveitando-se da boa vontade dela em servi-lo, para iniciar os disparos”, diz o delegado.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade