Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Onda vermelha: 1,5 milhão de mineiros deixam o toque de recolher

Macrorregião do Triângulo Norte e microrregião de Patos de Minas saem da onda roxa do Minas Consciente nesta segunda (5/4); o resto de MG vai até domingo (11/4)


05/04/2021 14:30 - atualizado 05/04/2021 16:49

Triângulo Vermelho e Patos de Minas avançam para a fase vermelha do programa Minas Consciente(foto: Divulgação/SES-MG)
Triângulo Vermelho e Patos de Minas avançam para a fase vermelha do programa Minas Consciente (foto: Divulgação/SES-MG)
Mais de 1,5 milhão de mineiros, o equivalente a metade da população de Belo Horizonte, deixaram o toque de recolher em Minas Gerais nesta segunda-feira (5/4). A macrorregião do Triângulo Norte e a microrregião de Patos de Minas avançaram para a onda vermelha do programa Minas Consciente, criado pelo governo estadual para conter o avanço da COVID-19. As demais cidades continuam na onda roxa, a mais rígida, pelo menos até domingo (11/4).

Ao todo são 38 cidades mineiras que avançam para a onda vermelha. No total, 1.581.874 de pessoas começam ver resultados satisfatórios no controle do coronavírus. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), houve queda de 18% na taxa de incidência de casos desde a metade de março no Triângulo Norte, uma das primeiras regiões a migrar para a fase mais restritiva do programa Minas Consciente. 

Ainda segundo a SES, o número de internações na macrorregião caiu de 14,04% para 6,42% nas últimas três semanas, registrando o menor indicador entre as regiões.
 


O secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, ressalta que a queda nos números na região favorece o avanço no programa. "Desde a implementação da onda roxa, a gente percebe, na macrorregião do Triângulo Norte, o aumento do isolamento da população, redução do número de casos notificados e redução da incidência, ou seja, da confirmação de novos casos. Isso já vem impactando o serviço de saúde na região. Há menor pressão em cima dos leitos hospitalares", observa o secretário.
 
 
 
As cidades do Triângulo Norte que avançam no controle da COVID-19 são: Abadia dos Dourados, Araguari, Araporã, Cachoeira Dourada, Campina Verde, Canápolis, Capinópolis, Cascalho Rico, Centralina, Coromandel, Douradoquara, Estrela do Sul, Grupiara, Gurinhatã, Indianópolis, Ipiaçu, Iraí de Minas, Ituiutaba, Monte Alegre de Minas, Monte Carmelo, Nova Ponte, Patrocínio, Prata, Romaria, Santa Vitória, Tupaciguara, Uberlândia.

Já na microrregião, além de Patos de Minas, os municípios de Cruzeiro da Fortaleza, Guarda-Mor, Guimarânia, Lagamar, Lagoa Formosa, Presidente Olegário, São Gonçalo do Abaeté, Serra do Salitre, Varjão de Minas e Vazante também evoluíram de fase. 

O que pode funcionar?

Pela onda vermelha, os serviços não essenciais voltam a funcionar normalmente, seguindo protocolos de segurança determinados pelo governo de Minas Gerais. 
 
As lojas do varejo em geral voltam a funcionar de segunda a sábado, entre 5h e 20h. Os lojistas determinam a escala de trabalho dos funcionários e horário de atendimento ao público.
 

Os clubes reabrem com até 50% da capacidade, ao mesmo tempos em que eventos são permitidos com capacidade máxima de 30 pessoas e realização dentro do horário de 5h às 20h. As academias também voltam às atividades normais de segunda a sábado.

As autoescolas, enquanto o município estiver na onda vermelha funcionam normalmente, mas as aulas teóricas coletivas devem manter o distanciamento entre alunos, professor e com todas as medidas de segurança adotadas pelo local e pelas pessoas.
 

COVID-19 em MG

Apesar do avanço no Triângulo Norte e Patos de Minas, o estado ainda vive uma situação caótica da COVID-19. As projeções para a doença acendem alerta para abril, que pode ser um mês ainda mais letal que março, quando foram registrados recordes de mortes em todo o país. Em Minas, nos primeiros cinco dias, foram confirmadas 1.381 mortes, o que corresponde a 23,9% do total de mortes do mês anterior.
 

De acordo com o boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde, nesta segunda-feira (5/4), o estado registrou 59 mortes e 2.604 casos em 24 horas. A curva de transmissão apresenta leve queda, mas ainda está em um patamar alto. Desde o início da pandemia, 1,15 milhão de pessoas se contaminaram com o coronavírus. Desse total, 25.713 morreram. 

A média móvel de mortes é 275, um crescimento de 36,8% em relação a 15 dias. Em 23 de março, a média de mortes era 201. A média dos últimos dias de casos é de 7907. No dia 30 de março, era 10.242.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade