Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID: Frutal libera academias; em Uberaba, educadores físicos protestam

As duas cidades, situadas no Triângulo Sul, estão na onda roxa, com taxas de ocupação de leitos/COVID perto do limite


02/04/2021 11:31 - atualizado 02/04/2021 13:08

Educadores físicos, donos de academias, além de alunos, realizaram protesto no centro da cidade nesta quinta-feira (1/4)(foto: Jairo Chagas/Jornal da Manhã)
Educadores físicos, donos de academias, além de alunos, realizaram protesto no centro da cidade nesta quinta-feira (1/4) (foto: Jairo Chagas/Jornal da Manhã)

No Triângulo Mineiro Sul, Frutal publicou um novo decreto municipal de enfrentamento à COVID-19 na noite dessa quinta-feira (1/4) liberando o funcionamento de academias e salões de beleza desde que seja respeitada uma série de medidas sanitárias. Já em Uberaba, educadores físicos e empresários do ramo de academias fizeram protesto no Centro da cidade pela reabertura.

 
 
Segundo o novo decreto de Frutal, de nº 11.884, ficam permitidas as atividades esportivas individuais ou acompanhadas de personal trainer, desde que, em ambos os casos, sejam obedecidas as medidas de distanciamento, uso de máscara e os protocolos sanitários do Plano Minas Consciente, como: tapete sanitizante, aferição de temperatura corpórea na porta de acesso, distanciamento de 3 metros entre os praticantes da atividade física, vedação de bebedouros e a proibição de compartilhamento de equipamentos, devendo esses serem de uso individual.
 
Já com relação aos salões de beleza e barbearias do município agora podem funcionar desde que haja agendamento prévio, atendimento individualizado, respeito a todas as normas sanitárias e que esses estabelecimentos não funcionem entre 20h e 5 h.

Para mais informações sobre o novo decreto de Frutal acesse este link.  

“Somos essenciais”

 
Em Uberaba, educadores físicos, donos de academias, além de alunos, pedem a reabertura das academias, mas respeitando todas as medidas sanitárias de enfrentamento à COVID-19.

Com cartazes com dizeres como ‘atividade física é a solução’, ‘quer pagar minhas contas?’, entre outros, além de gritos como “somos essenciais”, na manhã dessa quinta-feira (1/4), dezenas deles caminharam pelas ruas do centro da cidade até a frente do prédio da Câmara Municip;al de Uberaba (CMU), situado na praça Rui Barbosa.
 
Em entrevista à Rádio JM, a educadora física Nathália Correa lamentou a falta de apoio por parte do poder público. 

“Nós estamos aqui reivindicando o direito ao trabalho, que é um direito constitucional. A partir do momento que alguém veda o direito do outro, tem que, no mínimo, dar condições de sobrevivência a essas pessoas. Atividade física não é o problema, é a solução”, declarou
 

Leitos perto do limite

 
Uberaba convive com taxas de ocupação de UTI/COVID, tanto de hospitais privados como públicos próximo do limite. De acordo com o último boletim epidemiológico da cidade, de 43 leitos UTI/COVID disponíveis na rede privada, 35 estão ocupados; com relação à rede pública a situação é um pouco menos preocupante, ou seja, de 60 leitos UTI/COVID disponíveis, 43 estão ocupados.
 
Desde o início da pandemia, foram contabilizados 19.378 casos positivos em Uberaba, sendo que destes 534 pessoas morreram e 16.290 se recuperaram.
 
Já em Frutal, neste momento, dos seus 26 leitos de enfermaria/COVID, disponíveis no Hospital Frei Gabriel, que atende o município e sua microrregião, 21 estão ocupados. Como Frutal ainda não possui leitos de UTI/COVID, cinco de seus moradores estão internados em UTIs de hospitais da sua macrorregião. 
 
Na cidade, de cerca de 60 mil habitantes, desde o início da pandemia foram registrados 4519 casos, sendo que destes 136 pessoas morreram e 4.188 se recuperaram.
 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade