Publicidade

Estado de Minas ESFORÇO

Câmara de Frutal doa mais de R$ 500 mil para habilitar leitos de UTI/COVID

Atualmente, o município, que não possui leitos de UTI/COVID, envia os seus pacientes graves para hospitais da sua macrorregião


16/03/2021 10:42 - atualizado 16/03/2021 10:57

Reunião entre a prefeitura de Frutal e os vereadores aconteceu no final da tarde desta segunda-feira (15/03). Os vereadores decidiram, de forma unânime, que o legislativo frutalense deve repassar parte do montante do duodécimo de quatro anos para a conclusão da UTI da cidade (foto: Prefeitura de Frutal/Divulgação)
Reunião entre a prefeitura de Frutal e os vereadores aconteceu no final da tarde desta segunda-feira (15/03). Os vereadores decidiram, de forma unânime, que o legislativo frutalense deve repassar parte do montante do duodécimo de quatro anos para a conclusão da UTI da cidade (foto: Prefeitura de Frutal/Divulgação)

A Câmara Municipal de Frutal abriu mão de uma verba de R$ 518 mil, proveniente do seu duodécimo, e repassou o montante para a prefeitura da cidade habilitar 10 leitos de UTI no Hospital Frei Gabriel que serão voltados para pacientes com a COVID-19

 
Até o momento a cidade não possui leitos de UTI e pacientes graves são transferidos para hospitais de cidades de sua região como, por exemplo, Uberaba, São José do Rio Preto e Barretos, as duas últimas no interior paulista. 
 
A Prefeitura de Frutal informou que as obras de adequação devem ser iniciadas esta semana, sendo que os novos leitos irão começar a funcionar em no máximo quarenta dias.
 
“O valor que será utilizado para a finalização da obra, que já se arrasta há mais de quatro anos, é proveniente do duodécimo, uma verba que a Prefeitura é obrigada por lei a repassar todos os meses para a Câmara para que o Legislativo custeie os seus gastos mensais. 
 
Os vereadores se comprometeram a devolver parte desse dinheiro repassado pela Prefeitura, para que a UTI, enfim, comece a funcionar e a salvar vidas”, informou nota da assessoria de imprensa da prefeitura da cidade.
 
O prefeito de Frutal, Bruno Augusto, fez questão de ressaltar que a UTI da cidade vai começar a funcionar com ou sem ajuda do Estado. “Nós vamos colocar a UTI para funcionar e ela contará com 10 leitos e mais cinco para suporte ventilatório”, garantiu o prefeito. 
 
“Contratamos um engenheiro clínico para acompanhar as obras de reforma e adaptações do local que, atualmente, está impedido de abrir suas portas por não cumprir uma série de determinações impostas por órgãos sanitários e de saúde estaduais e federais. Nesta terça-feira (16/3) já começaremos um mutirão para concluir esses reparos e adequações, o quanto antes", afirma. 
 
"Hoje, a UTI não está funcionando por uma determinação da Superintendência Regional de Saúde de Uberaba que em janeiro realizou uma inspeção e detectou pelo menos 12 irregularidades no imóvel que impedem a UTI de receber o credenciamento do Ministério da Saúde”, explica o prefeito de Frutal, que tem 33 anos e é graduado em Jornalismo.
 
Bruno também enumerou as irregularidades encontradas no prédio onde funcionará a UTI: 
 
“Construíram um teto de gesso, o que não é permitido segundo as normas sanitárias brasileiras. A rede elétrica também é insuficiente para alimentar os aparelhos necessários para a UTI funcionar adequadamente. Foram instaladas tomadas elétricas no chão, outro erro que não poderia ter sido cometido. Além disso, toda Unidade de Terapia Intensiva tem uma sala que é conhecida como expurgo, local onde fica armazenado o lixo hospitalar e você não a de ver que construíram um vaso sanitário nessa sala”, lamentou.
 
Como o Hospital Frei Gabriel é responsável por atender pacientes de outras 10 cidades da microrregião de Frutal, o prefeito Bruno Augusto disse que será proposto a criação de um consórcio regional com a participação desses municípios.

“Para que eles nos ajudem de alguma forma na manutenção da nossa UTI, que terá um custo mensal de cerca de R$ 1 milhão. Além disso, essa semana estarei em Belo Horizonte em busca de recursos estaduais para a unidade”, disse.
 
Segundo o último boletim epidemiológico de Frutal, desde o início da pandemia, foram registrados na cidade 3.954 casos positivos, sendo que destes 103 pessoas morreram e 3.669 se recuperaram.

Neste momento, 155 moradores de Frutal seguem em acompanhamento domiciliar, sendo que 21 pacientes estão internados em leitos clínicos do Hospital Frei Gabriel e 6 em UTIs de hospitais da sua macrorregião. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade