Publicidade

Estado de Minas Crueldade

Mulher que teve o corpo queimado foi espancada antes de morrer, diz polícia

Assassino tinha vida dupla, pois mantinha relacionamento com a vítima e com outra mulher, com quem tinha um filho


23/03/2021 19:31 - atualizado 23/03/2021 21:31

Corpo foi encontrado, em 5 de março, queimado e enterrado em estrada próxima a Passa Quatro(foto: PCMG/Divulgação)
Corpo foi encontrado, em 5 de março, queimado e enterrado em estrada próxima a Passa Quatro (foto: PCMG/Divulgação)

Já são quatro os presos envolvidos no assassinato de Stefânia Monteiro, de 37 anos, ocorrido no final de novembro de 2020, em Passa Quatro, no Sul de Minas. Ela foi assassinada e teve o corpo queimado e enterrado numa estrada rural de São Sebastião do Rio Verde, cidade vizinha a Passa Quatro.

Além do autor do crime, Renato França Silva, estão presos os pais dele e um outro homem, o primeiro a ser detido pela polícia.

Stefânia mantinha relacionamento com Renato França Silva há mais de um ano, e se mudou para Passa Quatro para morar com ele. A polícia descobriu que Renato era casado com outra mulher, com quem tem um filho, em Itanhandu.

 

A vítima estava desaparecida desde o final de novembro. No fim de dezembro de 2020, a família de Stefânia registrou o sumiço na polícia. A partir daí, vários procedimentos foram realizados.

 

Foram colhidos depoimentos de Renato, de testemunhas que conheciam os envolvidos no caso e da mulher com quem o investigado se relacionava.

 

Ele mentiu no depoimento e acabou se tornando o principal suspeito.

A partir disso, o delegado Breno Silva, de Passa Quatro, pediu à Justiça mandados de prisão contra os pais do suspeito e também contra ele.

 

Corpo encontrado

 

O corpo foi encontrado pelos investigadores da Polícia Civil em 5 de março. O resultado do exame de necropsia apontou politraumatismo como causa da morte, o que confirma que a mulher teria sido espancada antes do óbito.

 

“Desde o início, tratamos o fato como homicídio e, através de indícios e depoimentos, conseguimos pedir os mandados e concluir as investigações acerca da autoria e do que havia ocorrido com a vítima”, diz o delegado.

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade