Publicidade

Estado de Minas GÁS NATURAL

Entidade pede a STF liberação de testes com cocaína para matar coronavírus

Escola Humanismo Científico, de Manaus, pede também a suspensão de vacinas, caso comprove eficácia de tratamento


02/03/2021 13:40 - atualizado 02/03/2021 14:50

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
Uma ação impetrada pela Escola Humanismo Científico, de Manaus (AM),  pede que a União seja obrigada a fazer um teste para ver se o gás da cocaína é eficaz para matar o coronavírus. Se for, "o governo deve rescindir os contratos com laboratórios e farmacêuticos que produzem vacina e liberar o cultivo de coca e maconha no país".
Segundo justificativa da ação, "a pedra de cocaína transformada em gás natural, injetada no corpo dos infectados pela COVID-19, neutralizará os núcleos dos gases nocivos presentes neles, onde encontram-se os nêutrons e prótons, que 'anestesiam' o vírus".

Conforme publicado no site Consultor Jurídico, a peça, conduzida pelo advogado Alcio Luiz Pessoa, com registro na OAB do Acre, "há gases bons para a vida e outros nocivos, conforme enunciou Lavoisier em 1662. O Corona que se alimenta pela respiração, ficou presente no seu DNA o vírus do gás nocivo", prossegue a argumentação. "O velho Corona pela simbiose comunicou o vírus para a espécie de sua família que chamaram de novo corona. Pela respiração conjunta da família, ele pôs novamente o vírus nocivo no ar. Por que não estancaram a meta genômica do velho para o novo corona?", questiona.
 
"As massas desses gases que têm a mesma densidade e propriedades, se atraem na razão direta de suas massas que se expressam em quilograma/litro para se acumularem em grandes volumes que dizem ser as variantes de mutações e as reinfecções da COVID-19", afirma a ADI. "Essas massas dos gases nocivos só podem ser neutralizadas por outro gás natural de propriedade diferente."
 
É assim possível, diz o advogado da entidade, transformar a pedra de cocaína em gás natural, para que ele seja usado para neutralizar os gases dos vírus da COVID-19. "Diante dessa explicação científica das leis naturais da física e da química espacial, a pandemia não é uma crise sanitária epidemiológica. Ela é uma crise ambiental ecológica", esclarece.
 
"É obrigação do Estado experimentar o gás da cocaína injetado no corpo humano, para ver o vírus nocivo morrer. Diante do resultado, deverá o Estado denunciar à Organização Mundial de Saúde (OMS) a rescisão unilateral dos contratos das vacinas, dos insumos inorgânicos dos laboratórios." 

Conselho Regional de Farmácia 

A farmacêutica e consultora técnica do Conselho Regional de Farmácia (CRF), Danyella Domingues, disse que a entidade não pode se poscionar sobre terapias em que não existem dados científicos que configurem tratamento. "As terapias recomendadas para a COVID-19 de forma alguma podem ser substituídas pela vacina, que é o controle da pandemia. Mesmo que possa surgir um tratamento com efetividade contra o novo coronavírus, a vacina continua sendo a melhor terapêutica do ponto de vista imunológico."
 
Ela adverte que o uso de qualquer medicamento dever ter respaldo científico, sob eficácia e segurança do paciente. Por tratar-se de patologia nova, continua a farmacêutica, a disseminação de informações que não têm indicação profissional e científica de qualquer benefício e tratamento, "presta um desfavor à sociedade e induz a uso de medicamentos inadequados com possibilidade de gerar efeitos adversos graves.", adverte.
 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.


transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
  • Em casos graves, as vítimas apresentam:
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
  • Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade