Publicidade

Estado de Minas DE FORA DA IMUNIZAÇÃO

Servidores do Hemominas de BH protestam por vacinas contra a COVID-19

Funcionários do hemocentro da capital, que paralisaram atividades por uma hora nesta terça-feira (02/3), denunciam terem ficado de fora dos planos de vacinação


02/03/2021 11:14 - atualizado 02/03/2021 13:17

Funcionários do Hemocentro de Belo Horizonte em protesto na manhã desta terça-feira (02/3) em frente à sede do Hemominas, na região hospitalar da capital. Servidores afirmam que ficaram de fora dos planos de vacinação contra a COVID-19(foto: Sind-Saúde/Reprodução)
Funcionários do Hemocentro de Belo Horizonte em protesto na manhã desta terça-feira (02/3) em frente à sede do Hemominas, na região hospitalar da capital. Servidores afirmam que ficaram de fora dos planos de vacinação contra a COVID-19 (foto: Sind-Saúde/Reprodução)
Servidores do Hemocentro de Belo Horizonte (HBH), ligado à Fundação Hemominas, protestaram na manhã desta terça-feira (02/3) por não terem sido contemplados nos planos de vacinação contra a COVID-19. Segundo os manifestantes, o HBH é o único hemocentro da rede estadual que não vacinou seus trabalhadores.

A manifestação ocorreu entre as 10h e 11h na porta do laboratório, localizado no Bairro Santa Efigênia, região Central da capital.

 

 

 

O diretor do Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde) Renato Barros afirma que os servidores do hemocentro que fazem atendimento direto à população na coleta de sangue, inclusive no apoio a combate à COVID-19, não foram incluídos nos planos de imunização do governo estadual e nem no da Prefeitura de BH (PBH).

 

Barros lembra que todos os profissionais da rede pública de saúde de Belo Horizonte, até mesmo de laboratórios privados que prestam serviço ao SUS, já receberam a primeira dose de vacinas e credita à direção do HBH a não contemplação dos funcionários do hemocentro na vacinação da capital.

 

“A vacinação do hemocentro ficou de responsabilidade da Prefeitura de Belo Horizonte, mas, no envio da primeira remessa, foi perguntado à direção do Hemominas o quantitativo de vacinas que ela precisava para os seus profissionais. Segundo a coordenação de distribuição da PBH, não houve resposta desse questionamento e eles entenderam que o estado tinha passado as vacinas diretamente ao hemocentro, assim como foi com algumas instituições hospitalares”, expõe o diretor do Sind-Saúde.

 

Em nota, o Sind-Saúde/MG destaca que, desde o início da vacinação no estado, tem reivindicado a vacina para os trabalhadores do HBH.  Em reunião com Conselho Estadual de Saúde e o governo estadual, o sindicato formalizou cobrança pela aplicação de vacinas para os trabalhadores da Fundação Hemominas. Na ocasião, foi informado pela Diretoria da Vigilância Sanitária/SMSA que os trabalhadores do HBH receberiam as vacinas na próxima remessa, fato que ainda não aconteceu, já que a quinta remessa de vacinas chegou em Minas Gerais nesta semana. 

 

Funcionários do Hemocentro de Belo Horizonte em protesto na manhã desta terça-feira (02/3) em frente à sede do Hemominas, na região hospitalar da capital. Servidores afirmam que ficaram de fora dos planos de vacinação contra a COVID-19(foto: Sind-Saúde/Reprodução)
Funcionários do Hemocentro de Belo Horizonte em protesto na manhã desta terça-feira (02/3) em frente à sede do Hemominas, na região hospitalar da capital. Servidores afirmam que ficaram de fora dos planos de vacinação contra a COVID-19 (foto: Sind-Saúde/Reprodução)
 

 

Segundo Barros, estão programados protestos diários de cobrança até que haja a definição de uma data para a vacinação dos servidores do HBH.

 

“Estamos denunciando a ausência de vacinação, pois outros servidores do estado que atendem ao público já receberam duas doses, nós da Hemominas não temos nenhuma previsão de vacinação. Hoje fizemos esse protesto e iremos repeti-lo todos os dias, até que tenhamos repostas da gestão sobre o plano de vacinação para os servidores do HBH”, afirmou Márcia Caula, servidora da unidade. 

 

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informou que a definição de públicos-alvos a serem vacinados no estado segue as recomendações do Ministério da Saúde, conforme publicado na Nota Informativa Vacinação Nº 03/2021. Quanto ao fluxo e competência para a vacinação dos profissionais de saúde, a SES-MG esclareceu que as doses recebidas pelo governo estadual são retiradas pelas secretarias municipais de saúde, responsáveis pelas campanhas e estratégias locais em seu território. 


A reportagem ainda tenta contato com a PBH a respeito do protesto.


* Estagiário sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade