Publicidade

Estado de Minas TRAGÉDIA

Corpos de avô e neta mortos em acidente em BH são liberados do IML

Aleyson Machado Carmo e Ana Beatriz Dias Carmo morreram após carro em que estavam capotar e pegar fogo. Motorista suspeito de provocar acidente está preso


19/01/2021 21:30 - atualizado 19/01/2021 21:55

Aleyson Machado Carmo e Ana Beatriz Dias Carmo morreram após grave acidente na Avenida Carlos Luz, em BH(foto: Reprodução/Redes Sociais)
Aleyson Machado Carmo e Ana Beatriz Dias Carmo morreram após grave acidente na Avenida Carlos Luz, em BH (foto: Reprodução/Redes Sociais)
Os corpos de Aleyson Machado Carmo, de 65 anos, e Ana Beatriz Dias Carmo, de 14 anos, foram liberados do Instituto Médico Legal (IML) nesta terça-feira (19/01). Eles foram vítimas de um grave acidente na Avenida Presidente Carlos Luz, na Região Noroeste de Belo Horizonte, na última sexta-feira (15/01).

Aleyson e Ana Beatriz estavam em uma Volkswagen Parati quando foram atingidos por uma Mercedes-Benz CLA 200, conduzida por Alexsandro Domingues Felipe, de 46 anos. Com a colisão, o carro em que a família estava capotou e pegou fogo.

Avô e neta morreram carbonizados no acidente. Desde então, os corpos estavam no IML aguardando identificação oficial por meio de DNA. Após a liberação, a família organiza velório e enterro. A cerimônia será fechada a familiares, por causa da pandemia da COVID-19.

Glennia Nayara Dias Carmo, de 33 anos, e Arthur Carmo dos Santos, de 10 anos, mãe e filho, também estavam na Parati, mas foram arremessados para fora. Glennia ainda está hospitalizada, mas Arthur recebeu alta no dia seguinte do acidente.

No último domingo (17/01), a Justiça converteu a prisão de Alexsandro Felipe Domingues em preventiva. O homem foi preso em flagrante após o acidente. Ele foi enquadrado por dois crimes: praticar homicídio culposo e conduzir veículo sob influência de álcool. De acordo com testemunhas, o rapaz estaria participando de um “racha”. O outro veículo, no entanto, ainda não foi localizado.

De acordo com a Polícia Militar (PM), Alexsandro foi submetido ao teste do bafômetro e teve álcool detectado no organismo, com um resultado de 0,76 mg/L de álcool no sangue. O número, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), configura crime de trânsito. Ainda foi constatado que o motorista estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida desde 2015.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade