Publicidade

Estado de Minas CUIDADOS MÉDICOS

Vítima de acidente na Avenida Carlos Luz, em BH, segue em coma induzido

Glennia Nayara Dias Carmo, de 33 anos, passou por uma cirurgia para restabelecer o fluxo da perna esquerda


17/01/2021 22:31 - atualizado 18/01/2021 22:53

Veículo atingido por carro de luxo ficou totalmente destruído pelas chamas(foto: Reprodução)
Veículo atingido por carro de luxo ficou totalmente destruído pelas chamas (foto: Reprodução)
Segue internada em coma induzido Glennia Nayara Dias Carmo, de 33 anos. Ela foi uma das sobreviventes do grave acidente na Avenida Presidente Carlos Luz, no Bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte. Na sexta-feira (15/01), um veículo em alta velocidade, conduzido por um motorista embrigado, acertou o carro em que Glennia estava com a família, deixando dois feridos e dois mortos.

Além de Glennia, o filho dela, Arthur Carmo dos Santos, de 10 anos, também foi levado ao hospital. A criança quebrou o braço, teve uma pequena lesão no pé e ficou com um ferimento na altura da cintura. Ele, no entanto, recebeu alta nesse sábado (16/01).

De acordo com familiares, Glennia apresenta quadro estável. Ela passou por cirurgia no sábado à tarde para restabelecer o fluxo da perna esquerda. Até o momento, não haverá amputação do membro. As fraturas expostas foram corrigidas e as não expostas foram tratadas com talas e gesso. 

Glennia também teve lesão no tórax, que está cicatrizando. Não foram constatadas lesões neurológicas e nem na barriga. Ela segue sob cuidados médicos.

Mortes

Aleyson Machado Carmo, de 65, e Ana Beatriz Dias Carmo, de 14, morreram carbonizados no acidente, depois que o veículo foi atingido, capotou e pegou fogo. Aleyson era avô de Ana Beatriz, filha de Glennia. Avô e neta não conseguiram sair do carro a tempo.

De acordo com familiares, o enterro de Aleyson e Ana Beatriz pode demorar, uma vez que a identificação dos corpos precisa ser feita somente por DNA.

O caso

O carro em que a família estava, um Volkswagen Parati, foi atingido por uma Mercedes-Benz CLA 200, conduzida por Alexsandro Felipe Domingues, de 46 anos. Alexsandro estava dirigindo em alta velocidade. Mãe e filho que sobreviveram foram arremessados para fora no momento do capotamento.

De acordo com a Polícia Militar (PM), Alexsandro foi submetido ao teste do bafômetro e teve álcool detectado no organismo, com um resultado de 0,76 mg/L de álcool no sangue. O número, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), configura crime de trânsito. Ainda foi constatado que o motorista estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida desde 2015.
 
O homem foi encaminhado para a delegacia do Detran e levado, posteriormente, ao sistema prisional, enquadrado por dois crimes: praticar homicídio culposo e conduzir veículo sob influência de álcool. De acordo com testemunhas, o rapaz estaria participando de um “racha”. O outro veículo, no entanto, ainda não foi localizado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade