Publicidade

Estado de Minas CORONAVAC

BH vai guardar segunda dose; intervalo entre injeções pode ser de 20 dias

Prefeitura quer garantir 'imunização completa' contra a COVID-19 antes de avançar casas em cronograma


18/01/2021 16:57 - atualizado 18/01/2021 17:55

PBH trabalha para imunizar 30 mil profissionais da linha de frente de combate ao novo coronavírus(foto: AFP PHOTO /BYLINE)
PBH trabalha para imunizar 30 mil profissionais da linha de frente de combate ao novo coronavírus (foto: AFP PHOTO /BYLINE)
A Prefeitura de Belo Horizonte estima vacinar 30 mil cidadãos na primeira fase do plano de vacinação contra a COVID-19. A administração da capital mineira projeta receber, como lote inicial, 60 mil exemplares da CoronaVac. Metade das doses será aplicada de imediato, enquanto o restante será armazenado para ser injetado algum tempo depois, para completar a imunização.

A ideia é que a segunda dose da vacina do Instituto Butantan seja ministrada de 15 a 20 dias após a primeira. “Sessenta mil (doses) é a previsão de Belo Horizonte. Como a indicação do Ministério da Saúde é de que cada pessoa receba duas doses – a primeira e, depois, a segunda, em um intervalo de 15 a 20 dias –, estamos trabalhando com um público de 30 mil pessoas recebendo 60 mil doses”, explicou Taciana Malheiros, secretária-adjunta de Saúde de BH.

A cidade optou por “estratificar” os grupos prioritários. Por ora, o foco estará nos 30 mil trabalhadores que dão expediente nas áreas de terapia intensiva – inclusive nas que não são destinadas exclusivamente aos pacientes infectados pelo novo coronavírus. A vacinação será feita dentro dos hospitais.

Como mostrou o Estado de Minas nesse domingo (17), o repasse será feito às unidades, que serão encarregadas de imunizar as equipes. Não haverá distinção entre casas de saúde públicas e privadas.

Posteriormente, haverá repasse a enfermeiros que atendem casos de COVID-19 e trabalhadores das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e do Samu.

Depois, conforme os lotes cheguem, a ideia é avançar a imunização aos outros grupos prioritários. "A partir do momento que a gente for recebendo novas vacinas, colocaremos nosso plano em funcionamento de acordo com essa estratificação", disse Taciana.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade