Publicidade

Estado de Minas

Motoristas de aplicativo vão à Cidade Administrativa em novo protesto

Categoria pede mais segurança após assassinato de colega no último dia 31. Representantes devem participar de reunião nesta tarde na sede do governo


05/01/2021 12:10 - atualizado 05/01/2021 13:51

Carreata chega à Cidade Administrativa, na Região de Venda Nova(foto: Simone Almeida/Sicovapp)
Carreata chega à Cidade Administrativa, na Região de Venda Nova (foto: Simone Almeida/Sicovapp)
 
Pelo segundo dia consecutivo, motoristas que prestam serviço de transporte por aplicativo em Belo Horizonte e região metropolitana protestam contra a morte do colega Anderson Coelho Alves, de 27 anos, assassinado em 31 de dezembro. Nesta terça-feira, o grupo saiu em carreata até a Cidade Administrativa, sede do governo de Minas Gerais. Uma comissão deve ser recebida pelas autoridades nesta tarde.

A concentração para a carreata começou na Praça do Papa, no Bairro Mangabeiras, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. De lá, eles seguiram pela Avenida Cristiano Machado e pela MG-010 até a Cidade Administrativa, que fica no Bairro Serra Verde, Região de Venda Nova. 

O protesto foi organizado de forma independente pelos motoristas por meio de grupos do WhatsApp. Eles reivindicam mais segurança para realizar as corridas. 

A vice-presidente do Sindicato dos Condutores de Veículos que Utilizam Aplicativos do Estado de Minas Gerais (Sicovapp), Simone Almeida, disse à reportagem que o sindicato foi ao local para dar apoio à categoria. Os primeiros veículos começaram a chegar lá por volta do meio-dia e houve buzinaço. 

Segundo ela, representantes do governo pediram os nomes de três a cinco pessoas para formar uma comissão que será recebida na Cidade Administrativa hoje. Ela estava entre os participantes, mas não foram recebidos. 

"Infelizmente, a Secretaria de Segurança Pública não deixou entrar quem realmente representa os motoristas judicialmente.  E o Sicovapp, em ação, irá desenvolver petição propondo ao MPMG que nossos advogados atuem neste caso como auxiliar de acusação. Com isso, participaremos ativamente para que os culpados sejam punidos de forma exemplar", disse Simone.

Além disso, ela explica que o sindicato vai desenvolver ações judiciais propondo que as plataformas respondam na modalidade culposa por omissão pelos crimes praticados contra seus prestadores de serviços.

"Entendo que toda e qualquer forma de dar voz a nossa categoria é importante, mas na total falta de respostas por parte das plataformas chegou momento de ações firmes para termos  efetivo resultado na segurança dos motoristas", acrescentou.

Anderson Coelho Alves foi morto no fim da noite do réveillon. O corpo foi encontrado pela manhã do dia seguinte numa estrada de terra próximo a Vespasiano. O carro da vítima, um Palio, também foi encontrado, no Bairro Novo Horizonte, no mesmo município. 

O motorista estava desaparecido desde quinta-feira à noite. Seu último contato com a família foi por volta de 23h. Estava terminando sua última corrida, que começou em Santa Luzia e seguia para o Bairro Cabana do Pai Tomás, na Zona Oeste de Belo Horizonte. Depois disso, desapareceu. Dois homens foram presos e confessaram o assassinato, segundo a Polícia Militar


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade