Publicidade

Estado de Minas Problema sem solução

BR-381: rodovia vira terreno de promessas eleitorais e obras inacabadas

Dois longos trechos atualmente estão sendo duplicados (lotes 3,1 e 7), mas intervenções não têm data para terminar


04/12/2020 19:30 - atualizado 07/12/2020 18:33

BR-381 vira canteiro de obras liberadas a conta-gotas ou mesmo inacabadas(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
BR-381 vira canteiro de obras liberadas a conta-gotas ou mesmo inacabadas (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
 
Seis anos de ansiedade, com vidas perdidas e muitos sustos no caminho. Desde o governo de Fernando Henrique Cardoso até Jair Bolsonaro, a melhoria e a duplicação da BR-381onde um acidente com um ônibus deixou pelo menos 16 mortos em João Monlevade –  são temas frequentes em campanhas eleitorais na expectativa de dar uma solução ao grave problema. Mas até então quase nada realmente saiu do papel. Dos 303 quilômetros que compõem o trecho onde ocorreu o acidente, pouco mais de 35 quilômetros foram duplicados.
 
O governador Romeu Zema (Novo) se solidarizou com as vítimas da tragédia nesta sexta-feira (4/12) e reconheceu que a rodovia precisa de reparos urgentes. Ele disse que há diversas obras aprovadas para a estrada no Ministério da Infraestrutura e que, apesar da lentidão dos projetos, a duplicação da BR-381 é, hoje, a maior intervenção do Governo Federal em Minas.

O Governo Federal pretendia concedera administração da rodovia à iniciativa privada, mas adiou a decisão para o ano que vem. O Ministério da Infraestrutura enviará ao Tribunal de Contas da União (TCU) os estudos de concessão da rodovia. A consulta pública da proposta de edital prevê R$ 9,1 bilhões em investimentos e R$ 5,6 bilhões em custos operacionais para o período de 30 anos de concessão. Entre as principais obras estão previstas a duplicação de 595,4 km da rodovia (inclusive no trecho depois de Valadares), 42,4 km de faixas adicionais e a construção de 54 passarelas.

Obras estão devagar 


Acesso comum dos mineiros às praias do Espírito Santo, o trecho que vai de Belo Horizonte a Governador Valarares conta com algumas obras de duplicação em ritmo lento. A última delas foi inaugurada em agosto em Nova União pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, atendendo a uma reivindicação antiga de motoristas que passavam pelo trecho. A intervenção foi feita apenas dos quilômetros 411 a 419, passando pelo Vale do Aço. A previsão não foi cumprida de que, até dezembro, 66 quilômetros da rodovia estariam prontos .

O Governo Federal havia liberado no mês passado mais nove quilômetros de pista duplicada no trecho de Rio Una até Caeté (lote 7), comportando as cidades de Barão de Cocais, Bom Jesus do Amparo, Nova União e Caeté. A intervenção total inclui a remodelação dos túneis Antônio Dias e Prainha, além da construção de passarelas, dois viadutos e três pontes.

Obras também foram anunciadas para duplicar o lote 3.1 de 28,7 quilômetros), entre Jaguaraçu e Antônio Dias. Com previsão de inauguração em fevereiro de 2017, o trecho ainda não foi concluído, com uma parte ainda parada – apenas 12,7Km foram concluídos de fato. O novo prazo dado pelo Governo Federal venceu na terça-feira.
 

Dnit 

O DNIT é responsável por quatro de um total de 11 lotes das obras de duplicação e melhoramentos no segmento localizado entre Belo Horizonte e Governador Valadares.

O Estado de Minas questionou o Ministério da Infraestrutura a respeito do atraso na entrega das obras. A pasta diz que já existe algumas intervenções em andamento, que serão importantes para melhorar as condições da rodovia: "O Ministério da Infraestrutura, por meio do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), entregou, desde 2019, 49,7 quilômetros de pistas duplicadas na BR-381/MG, além de obras de arte especiais (OAE), como pontes, viadutos, túneis e passarelas para travessia de pedestres. Nenhum quilômetro havia sido entregue até então".

O Ministério diz que novos trechos deverão ser inaugurados: "No início de novembro, o DNIT conclui a duplicação do lote 7, com a duplicação de 37 quilômetros de pavimento. Além disso, trabalha atualmente na execução do lote 3.1, onde 13 dos 28,7 quilômetros já foram concluídos. Os lotes 3.2 e 3.3 já haviam sido finalizados anteriormente. O DNIT é responsável por quatro de um total de 11 lotes das obras de duplicação e melhoramentos na BR-381/MG, ao longo 303 quilômetros entre os municípios de Belo Horizonte (MG) e Governador Valadares (MG)".

"Os demais lotes também passarão por obras de duplicação, mas o processo será realizado através do programa de concessão desenvolvido pelo Governo Federal. O projeto da concessão abrange 686,1 quilômetros de segmentos rodoviários, compreendendo os trechos da BR-381, de Belo Horizonte (MG) a Governador Valadares (MG); e da BR-262, do entroncamento BR-381 em João Monlevade (MG) ao entroncamento com a BR-101 em Viana (ES) e prevê investimentos de R$ 7,73 bilhões durante o período de concessão", completa a nota da pasta.

Atenção redobrada 

Os longos trechos em obras podem causar novos acidentes, já que motoristas imprudentes não conseguem se livrar dos obstáculos na pista. “Quando transitar por um trecho em obras os motoristas devem redobrar a atenção, diminuir a velocidade e respeitar a sinalização”, recomenda o porta-voz da PRF, inspetor Aristides Amaral Júnior.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade