Publicidade

Estado de Minas BETIM

'Ainda não calculei meu prejuízo', diz moradora de casa atingida por viga de prédio demolido

Proprietária terá que reconstruir ao menos um dos cômodos de seu imóvel. Por ora, ela celebra que a moradia tenha se mantido de pé


27/11/2020 12:05 - atualizado 27/11/2020 13:28

Proprietária de casa rente ao edifício In Cairo, Luciana Silva e o marido correm para fazer reparos no imóvel, que teve o teto de um dos quartos destruído(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Proprietária de casa rente ao edifício In Cairo, Luciana Silva e o marido correm para fazer reparos no imóvel, que teve o teto de um dos quartos destruído (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
A dona de casa Luciana Silva será a uma das últimas moradoras do entorno do In Cairo - edifício situado em Betim que tombou em 17 de novembro - a ter o sossego de volta. 


A boa notícia é que, segundo a Defesa Civil, o imóvel não está condenado. O órgão fará mais uma vistoria do espaço nesta sexta-feira (27) apenas para verificar as condições de segurança de alguns cômodos e, até segunda (30), deve liberar o retorno da família. 

Até recuperar a tranquilidade, no entanto, os Silva ainda tem um longo caminho a percorrer. De acordo com Luciana, ela e o marido correm contra o tempo para providenciar os reparos do teto rompido antes da próxima chuva, ou perderão móveis eletrodomésticos. 

"E queira Deus que seja só mesmo o reparo da laje o nosso prejuízo. Porque a Defesa Civil ainda vem aqui em casa avaliar as trincas que apareceram no quarto das minhas filhas e no meu quarto. Se tiverem passado do reboco, vamos ter que desmanchar os cômodos", relata a proprietária. 

A prefeitura de Betim já comunicou à moradora de que ela terá que procurar a construtora responsável pelo prédio demolido para reaver os custos da reforma. "Ainda nem pensei nisso, não calculei meu prejuízo. Mas acredito que não terei dificuldades de sentar com eles e conversar, embora eles ainda não tenham me procurado. Só quero o que é meu direito", afirma a proprietária. 

Ela ressalta que terá dificuldades de arcar com os reparos da residência, já que o marido está desempregado e, atualmente vive de bicos. Contudo, procura ser otimista. 

"Você está vendo aqui a quantidade de entulho e bagunça aqui dentro de casa. Temos muito trabalho pela frente", diz enquanto mostra a casa à reportagem. "Mas eu ainda agradeço a Deus por não termos nos machucado. Minha filha estava dormindo quando a viga caiu no teto. Por pouco, não acertou a cabeça delas, pois elas estavam dentro do quarto, dormindo juntas", completou. 
 
Quarto que foi atingido por viga da construção(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Quarto que foi atingido por viga da construção (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

 
Para tentar economizar, a dona de casa diz que, ainda hoje, vai solicitar doação de alguns materiais de construção à Defesa Civil de Betim. 

Até o fim desta manhã, onze, das 15 famílias removidas do entorno do Edifício In Cairo já estavam autorizadas à retornar para suas casas, que foram vistoriadas na noite de ontem. 

demolição do prédio foi concluída na quinta-feira (26) e contou com cinco máquinas - entre as quais três escavadeiras hidráulicas - e mão de obra de 50 operários. Equipes do Corpo de Bombeiros, do Samu, da Guarda Municipal e da Cemig também foram mobilizadas na operação. 

A estrutura de seis pavimentos - dois apartamentos por andar - cedeu após temporal na Grande BH. Os imóveis foram vendidos na planta e custaram até R$ 280 mil. A Construtora responsável é a Abrahim Hamza Construção Eirelli que, até o momento, se manifestou apenas por meio de nota. 

No texto, diz que lamenta o ocorrido e se comprometeu a prestar assistência às famílias afetadas pelo "incidente".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade