Publicidade

Estado de Minas Clima

Sem previsão de chuva, calor pode aumentar na Grande BH nos próximos dias

Em poucos dias, Minas vai das baixas temperaturas a termômetros acima dos 30 graus. Meteorologia prevê que o tempo se mantenha estável ao longo desta semana no estado


10/09/2020 06:00 - atualizado 10/09/2020 10:18

Pôr do sol em Belo Horizonte: a duas semanas da primavera, massa de ar continental bloqueia chegada de chuva(foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)
Pôr do sol em Belo Horizonte: a duas semanas da primavera, massa de ar continental bloqueia chegada de chuva (foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)


Na contagem regressiva para a primavera, que começa oficialmente às 2h23 de 22 de setembro, Dia da Árvore, a Região Metropolitana de Belo Horizonte vive período de altas temperaturas que podem subir ainda mais e chegar aos 33 graus, batendo recordes neste fim de inverno. Um detalhe peculiar é que, entre meados do mês passado e esta primeira quinzena de setembro, a marca dos termômetros foi de um extremo ao outro, passando de 7,7 graus em 20 de agosto à máxima de 31,5 graus registrada ontem na capital. Na terça-feira, foi ainda maior (32,3°C).

Segundo o especialista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Cléber Souza, não há previsão de chuva para os próximos 10 dias. Assim, o período será caracterizado por tempo seco e muito quente. Na diversidade climática do território mineiro, Capim Verde, na região do Triângulo, chegou ontem à máxima de 37 graus, enquanto no distrito de Monte Verde, em Camanducaia, na Região Sul, ficou em 8 graus.
 
"O pior é que a gente olha para o céu e não vê nenhuma nuvem, nenhum sinal de chuva. Muitas vezes, só vê fumaça de queimadas no mato", lamentou, na tarde de ontem, uma diarista, que seguia à tarde para casa. "Passamos do frio para o quente em pouco tempo", comentou um homem.

A explicação para os extremos, segundo Souza, é que está predominando a chamada  massa de ar continental na Região Central do Brasil. "Ela bloqueia a chegada de frentes frias que trazem as chuvas. Se não há nuvem, não há chuvas, o que deixa o clima seco e quente", analisa o meteorologista. Se houver ocorrência de chuva rápida, poderá ser nas regiões Sul e Leste, mas não na RegiãoCentral do estado.

E por que as temperaturas foram do frio extremo às máximas de agora? O meteorologista explica que as baixas temperaturas em agosto decorreram de uma frente fria que chegou trazendo a chuva. Na sequência, veio a massa de ar polar, que fez as temperaturas despencarem. Posteriormente, o "efeito Saara", com a massa de ar continental.

Alerta

A situação fez o Inmet emitir dois alertas para a baixa umidade em Minas Gerais. Em Belo Horizonte, ele é emitido entre 20% e 12%, já tendo chegado a 19%. Curvelo, na Região Central, e Montalvânia, na Região Norte, tiveram as mais baixas do estado (13%). Nas regiões do Triângulo, Alto Paranaíba, Centro-Oeste, Sul e Central, o aviso é da cor laranja. Quando isso ocorre, é preciso evitar atividades físicas e exposição ao sol nas horas mais quentes do dia. Recomenda-se, ainda, umidificar os ambientes com vaporizadores, baldes com água ou toalhas molhadas, além de se proteger do sol e abusar da hidratação.

A previsão é que o tempo se mantenha estável em todo o estado ao longo desta semana, favorecendo cenário de céu claro, sem muitas nuvens, e altas amplitudes térmicas: a diferença entre as temperaturas mínima e máxima. A atenção deve ser redobrada, com bastante hidratação e roupas leves, evitando-se a prática de exercícios físicos sob sol forte.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade