Publicidade

Estado de Minas INTERIOR DE MINAS

Polícia Federal investiga tráfico de drogas entre Minas e Espírito Santo

Apuração já resultou na prisão de homens em um laboratório de produção de drogas em Mathias Lobato, a 39 quilômetros de Valadares


24/08/2020 15:58 - atualizado 24/08/2020 19:10

O delegado Christian Del Cantoni, durante entrevista na Delegacia de Polícia Federal de Governador Valadares(foto: Tim Filho)
O delegado Christian Del Cantoni, durante entrevista na Delegacia de Polícia Federal de Governador Valadares (foto: Tim Filho)
Uma conexão entre traficantes de Minas Gerais e Espírito Santo está sendo investigada pela Polícia Federal de Governador Valadares. O delegado Christian Del Cantoni, da PF, que coordena as investigações da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco), formada pelas polícias Civil, Militar, Penal e Rodoviária Federal, disse que está trabalhando para identificar os envolvidos.

A investigação já teve um bom resultado neste domingo, quando os policiais da Ficco foram até Mathias Lobato, a 38 quilômetros de Governador Valadares, para estourar um laboratório de produção de drogas. “Esse laboratório ficava na zona rural de Mathias Lobato, em local de difícil acesso. Chegamos com mais facilidade em um helicóptero”, contou o delegado Cantoni. Além da aeronave, os policiais da Ficco chegaram ao ponto em viaturas, rodando por uma estrada acidentada.



Lá, os policiais prenderam um homem que estava dentro do laboratório, que funcionava em uma casa velha. O suspeito que estava no local, disse que não tinha relação com os materiais e utensílios que lá estavam: cerca de 56 quilos de pasta-base de cocaína, 500 gramas de crack, 130 quilos de produtos destinados ao refino da droga, além de insumos e utensílios destinados ao preparo das substâncias. Com o material apreendido, os policiais encontraram aproximadamente R$ 2 mil em dinheiro.

Entre os insumos encontrados, possivelmente para a  a fabricação de crack, os agentes identificaram cal, esterco e até substâncias venenosas. De acordo com a Polícia Federal, os materiais apreendidos foram avaliados em quase R$ 2 milhões.

Outros dois homens foram presos fora do laboratório. Um era dono da propriedade e disse aos policiais que apenas alugava a casa e parte das terras, sem saber o que os inquilinos faziam no local. Outro foi preso em uma caminhonete, na qual camuflava drogas na tampa traseira.

Durante a prisão em flagrante, um dos homens disse que a droga produzida em Mathias Lobato era distribuída em cidades do Vale do Rio Doce, Vale do Aço e do Espírito Santo, sem informar quais cidades. O delegado Cantoni disse que a partir de agora vai investigar a atuação de cada um dos detidos e identificar as cidades e locais onde distribuíam a droga. “Com certeza são funcionários do tráfico, e a investigação vai esclarecer toda a conexão”, disse. O delegado da PF disse que está a frente do caso por causa da interestadualidade dos crimes, mas fez questão de ressaltar o mérito de todas polícias que integram a Ficco.

Os detidos foram autuados em flagrante na Delegacia Regional da Polícia Federal em Governador Valadares, e levados para o presídio de Tarumirim, a 75 quilômetros de Valadares. A abordagem e condução dos presos foram feitas de acordo com os protocolos de cuidados do Ministério da Saúde em face da pandemia do novo coronavírus.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade