Publicidade

Estado de Minas LEGISLAÇÃO

AMM busca entendimento com o MP para isolamento social nos municípios

Ness segunda-feira (13), o presidente da AMM, Julvan Lacerda, esteve reunido com o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Antonio Sérgio Tonet, para discutir medidas a serem tomadas pelos municípios


postado em 14/07/2020 21:14 / atualizado em 14/07/2020 22:28

Presidente da AMM, Julvan Lacerda, em reunião com o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Antonio Sérgio Tonet(foto: TJMG/Reprodução)
Presidente da AMM, Julvan Lacerda, em reunião com o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Antonio Sérgio Tonet (foto: TJMG/Reprodução)
A Associação  Mineira de Municípios (AMM) busca um entendimento com o Ministério Público Estadual (MPMG) em relação ao cumprimento das medidas de distanciamento social contra a COVID-19 adotadas pelas prefeituras. O presidente da AMM, Julvan Lacerda, esteve com reunido com o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Antonio Sérgio Tonet, na segunda-feira (13).
 
A pauta do encontro foi a discussão sobre as medidas a a serem adotadas pelos  municípios diante da decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), em Ação Direta de Constitucionalidade ajuizada pelo Ministério Público Estadual.  A decisão, de acordo com o MPMG, obriga municípios que não aderirem ao plano “Minas Consciente”, do Governo do Estado, “a cumprir normas de distanciamento social”. 
 
A liminar foi deferida pela desembargadora Márcia Milanez, do órgão especial do TJMG, para que seja reconhecido o caráter vinculante da Deliberação nº 17, do Comitê Extraordinário COVID-19, do Governo Estadual. A deliberação trata das medidas de restrição e acessibilidade a serviços e bens públicos e privados, a serem adotadas pelo estado e municípios durante o período de decretação de calamidade pública em função da pandemia do coronavírus. 
 
No encontro com o procurador-geral de Justiça, o presidente da AMM ressaltou que a Deliberação nº 17  é uma medida importante para contenção da pandemia em algumas regiões do estado, mas ponderou que ela “se mostra injusta e desnecessária para muitos municípios mineiros, principalmente para aqueles com menos habitantes, nos quais a incidência do novo coronavírus é mínima”. 
 
Julvan Lacerda chamou atenção para a necessidade de alguns ajustes, tanto nas medidas de distanciamento social como na Deliberação nº 39, que criou o Plano Minas Consciente, do governo do estado,  que visa a flexibilização das atividades econômicas de maneira gradual.  Ele solicitou que fossem observados os níveis de incidência da COVID-19 nas diferentes regiões do estado para orientar as medidas de flexibilização da economia. 
 
De acordo com a AMM, o procurador-geral Sérgio Tonet “se prontificou a receber as propostas e levá-las ao conhecimento do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde (CAO-Saúde) para discussão e eventuais encaminhamentos ao comitê extraordinário”. 
 

INDEPENDÊNCIA FUNCIONAL 

 
Por outro lado,  a Procuradoria-Geral de Justiça encaminhou para procuradores e promotores de Justiça de todo o estado um roteiro de atuação para que, respeitada a independência funcional de cada membro, o material possa auxiliar na adoção das medidas de acordo com a realidade de cada comarca. 
 
“Nossa intenção não é punir os gestores municipais, mas dialogar e trabalhar ao lado deles, orientando-os na busca pelas melhores soluções, tendo como principal meta garantir a saúde da população. Quando, infelizmente, não obtivermos sucesso nesses entendimentos, caberão as medidas administrativas e judiciais pertinentes a cada caso”, explicou Antônio Sérgio Tonet.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade