Publicidade

Estado de Minas FLEXIBILIZAÇÃO DO ISOLAMENTO

Abraço simbólico no comércio do Buritis pede volta ao trabalho

Com cartazes com palavras de ordem, empresários usavam máscaras e seguiram as regras do distanciamento social. Depois, saíram em carreata e fizeram buzinaço pelas principais ruas do bairro


postado em 05/05/2020 18:38 / atualizado em 05/05/2020 20:41

(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Empresários, comerciantes e lojistas dos bairros Buritis, Estoril e Palmeiras se uniram na tarde desta terça-feira (5) para dar um abraço simbólico no comércio em favor da flexibilização das regras de funcionamento das lojas. A manifestação aconteceu em frente ao Shopping Paragem, no Bairro Buritis, Zona Oeste. Com cartazes com palavras de ordem, os participantes seguiram todas as regras do distanciamento social. Usnado máscaras, eles ficaram a uma distância de 2 metros. 

De acordo com a organizadora da manifestação, a empresária Oriadina Panicali, a ideia é reabrir o comércio, mas de uma forma consciente. “É claro que a gente entende a situação, que sentimos medo. Nos preocupamos com a nossa saúde, a dos clientes e funcionários. A solução é uma reabertura consciente do comércio, seguindo as regras que forem impostas”, conta. “O que não dá é continuar assim. São três meses de lojas fechadas. E as contas continuam a chegar”, explica. 

Organizadora da manifestação, a empresária Oriadina Panicali(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Organizadora da manifestação, a empresária Oriadina Panicali (foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Oriadina conta que os aluguéis do bairro não foram negociados e que a maioria dos comerciantes deve quebrar. “Tem empresário com caixa, mas e aqueles que não têm? Vão falir. Não estamos contra o prefeito, só queremos que ele antecipe o flexionamento do isolamento”, diz.

Na segunda-feira (4) o prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou, a intenção de flexibilizar o isolamento social e iniciar a reabertura gradual do comércio de Belo Horizonte a partir de 25 de maio. A medida, porém, só será colocada em prática com aval de especialistas, que analisam a curva de infecções pelo novo coronavírus na capital.

Um manifesto será encaminhado ao prefeito informando que os comerciantes seguirão todas as regras de segurança, higiene, distanciamento e uso de equipamentos determinados pelos órgãos municipais. O abraço é simbólico. Para Oriadina a ideia veio como forma de manifestação pacífica. “Estamos de braços abertos, seguindo as normas corretas, todos distanciados. Abraçando nossas lojas, o que simbolicamente já diz”, conta.

Após o ato, os manifestantes seguiram em carreata pelas ruas do bairro. Dentro dos carros, comerciantes buzinavam e gritavam palavras de ordem. 
 
*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade