Publicidade

Estado de Minas

Em pouco mais de um mês, PRF apreende mais de 7 toneladas de drogas em Minas

Ontem, polícia localizou quase 2 toneladas de maconha em uma carreta em Juatuba. Segundo a polícia, redução no número de veículos por causa do isolamento social pelo coronavírus facilita as abordagens


postado em 22/04/2020 11:08 / atualizado em 22/04/2020 12:02

Drogas estavam na carroceria da carreta(foto: PRF/Divulgação)
Drogas estavam na carroceria da carreta (foto: PRF/Divulgação)


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez uma grande apreensão de drogas no fim da noite dessa terça-feira na BR-262, em Juatuba, Região Metropolitana de Belo Horizonte. As quase 2 toneladas de maconha eram transportadas em uma carreta e o motorista tentou escapar. De março até agora, a polícia já apreendeu mais de 7 toneladas de drogas. A redução do número de veículos nas estradas por conta da pandemia da COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus, contribuiu para as ações. 

Nesta última ocorrência, o veículo foi abordado por volta das 23h30 no km 360 durante uma fiscalização de combate à criminalidade. Os policiais desconfiaram do veículo porque ele estava em alta velocidade. Após a ordem de parada, o caminhoneiro chegou a fugir por alguns quilômetros, mas parou a carreta e saiu correndo. Ele tentou se esconder às margens da rodovia, mas foi detido em flagrante pelos agentes. 

Os tabletes de maconha estavam na carroceria do veículo. É comum neste tipo de ocorrência a carga estar camuflada em outros produtos, mas segundo a PRF, a carreta não transportava nada além das drogas. 



Ao todo, foram apreendidos 1.995 quilos de maconha em tabletes. O motorista e a carga foram levados ao Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (DENARC). 

Ainda segundo a PRF, de 11 de março até esta quarta-feira, período do isolamento social em função da pandemia da COVID-19, foram apreendidas mais de 6 toneladas de maconha, 1,1 tonelada de cocaína, e 73 quilos de skunk, um tipo de maconha. O número de traficantes presos chega a 32. 

De acordo com o inspetor Aristides Júnior, porta-voz da PRF, a redução do fluxo de veículos nas estradas facilitou o combate à criminalidade, já que há menos demanda de trânsito. “Mesmo o pessoal da área mais ligada a trânsito também se virou para a parte da criminalidade apoiando os grupos táticos. Menos veículos circulando, mais fácil de abordar, mais fácil de fazer uma triagem. Além do trabalho das nossas equipes de inteligência que trocam informações com colegas de outros estados e fronteiras”, explicou o inspetor. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade