Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Das 35 pessoas que morreram em Minas por COVID-19, apenas cinco não eram idosas

Dessas, três tinham comorbidades e duas não portavam doenças associadas à infecção pelo novo coronavírus


postado em 17/04/2020 22:50 / atualizado em 18/04/2020 00:14

Minas Gerais registra 35 mortes causadas pela infecção do novo coronavírus(foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Minas Gerais registra 35 mortes causadas pela infecção do novo coronavírus (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
A confirmação de uma tendência mundial: em Minas Gerais, a maioria das mortes pela COVID-19 é formada por pessoas acimas de 60 anos. De acordo com levantamento da Secretaria de Estado de Saúde (SES), dos 35 óbitos confirmados, 30 são de idosos.

 

As cinco mortes de pessoas abaixo de 60 anos ocorreram nas cidades de Mariana (homem de 44 anos); Varginha (homem de 59 anos); Divinópolis (mulher de 46 anos); Itabira (homem de 24 anos); e São Tomás de Aquino (homem de 34 anos).

 

Dessas cinco pessoas abaixo dos 60 anos, três tinham doenças concomitantemente ao quadro de infecção causado pelo coronavírus. As únicas que não tinham comorbidades eram as de Mariana (homem de 44 anos) e Divinópolis (mulher de 46 anos).

 

Mapa com os municípios de Minas
 

 

De acordo com o levantamento da SES, as comorbidades se mostram fundamentais para a ocorrência das mortes. Das 35 pessoas que perderam a vida devido à COVID-19, apenas seis não tinham enfermidades associadas à doença.

 

As mortes de uma mulher de 72 anos em Belo Horizonte e de outra de 76 em Belmiro Braga elevam de 33 para 35 o número de mortes pela COVID-19 em Minas nesta sexta-feira (17).

 

Segundo o boletim epidemiológico da SES, são 72.860 casos em investigação. O número de confirmados ultrapassou os 1 mil: são 1.021. Veja a evolução da doença em Minas:

 

Gráfico de casos e mortes em Minas

O que é o coronavírus?

 

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmoente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Gráficos e mapas atualizados: entenda a situação agora
Vitamina D e coronavírus: o que já sabemosCoronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa
Animais de estimação no ambiente doméstico precisam de atenção especial
Coronavírus x gripe espanhola em BH: erros (e soluções) são os mesmos de 100 anos atrás


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade