Publicidade

Estado de Minas

UFMG vai receber 5 mil máscaras doadas por universidade da China

A entrega deve chegar ao Brasil nas próximas semanas e será repassada para hospitais


postado em 25/03/2020 16:01 / atualizado em 25/03/2020 16:12

 

A UFMG está fazendo parcerias com universidades chinesas para combater o coronavírus (foto: Reprodução UFMG)
A UFMG está fazendo parcerias com universidades chinesas para combater o coronavírus (foto: Reprodução UFMG)

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vai receber 5 mil máscaras para uso hospitalar doadas pela universidade chinesa Huazhong University of Science and Techonology (Hust). O lote deve chegar ao Brasil nas próximas semanas e será destinado ao Hospital das Clínicas (HC-UFMG) e ao Hospital Risoleta Neves, ambos de Belo Horizonte e ligados ao SUS.



Segundo o diretor adjunto de Relações Internacionais da UFMG, Dawisson Lopes, a entrega das máscaras é uma resposta ao vídeo enviado por alunos de mandarim da universidade brasileira para os estudantes chineses. “A repercussão desse gesto foi muito boa por parte inclusive da Embaixada da China no Brasil, e agora o pessoal da Hust está retribuindo com essa doação”, comenta Lopes.

A Hust está localizada em Wuhan, primeira cidade a ser contaminada pela COVID-19. Com o fim das medidas de contenção ao novo coronavírus, o município já está voltando à normalidade. A universidade chinesa pretende ajudar os institutos parceiros no combate ao vírus.

Outras parcerias


A Renmin University of China, com sede na capital Pequim, também está ajudando a UFMG em um projeto para produzir políticas públicas adequadas para conter a pandemia. A pesquisa deve contar com a participação dos governos de Minas Gerais e de Belo Horizonte.

A comunicação entre as universidades é feita por meio Instituto Confúcio na UFMG, Jin Cheng, vinculada à Hust, e o pró-reitor adjunto de pesquisa científica da RUC, Jinlong Liu.

 

*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Murta

 

 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Coronavírus: qual é a diferença entre isolamento e quarentena? 

 


Publicidade