Publicidade

Estado de Minas

Após 'apagão' de 39 horas, Hospital Eduardo de Menezes começa a retomar atendimento

Oito pacientes da UTI tiveram que ser transferidos para outras unidades hospitais de Belo Horizonte


postado em 14/01/2020 10:40 / atualizado em 14/01/2020 10:46

Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, é referência no tratamento de doenças infectocontagiosas(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 17/05/2018)
Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, é referência no tratamento de doenças infectocontagiosas (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 17/05/2018)


A queima de um transformador e a consequente queda de energia elétrica causou muitos transtornos para usuários do Hospital Eduardo de Menezes, no Bairro Bonsucesso, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte. Os serviços na unidade, referência em doenças infectocontagiosas, que ficaram particialmente interrompidos desde a tarde do último domingo (12), só começaram a ser retomados na manhã desta terça-feira (14).

De acordo com a unidade, o transformador queimou por volta de 16h de domingo. Técnicos constataram que não seria possível consertar o aparelho. Dois geradores a óleo diesel foram colocados em funcionamento, mas um deles apresentou falha e não foi possível manter o fornecimento de energia.

Oito pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) tiveram que ser transferidos para outras unidades hospitais de Belo Horizonte. A direção do Eduardo de Menezes afirma ter desmarcado as consultas que estavam agendadas. Entretanto, alguns usuários chegaram a se deslocar até o local e ficaram frustrados ao saber que o atendimento estava suspenso.

De acordo com a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), a energia elétrica do Hospital Eduardo de Menezes foi totalmente restabelecida às 7h desta terça-feira, devido à instalação de um novo transformador, disponibilizado pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

A Fhemig também informou que os oito pacientes que haviam sido transferidos da UTI do Eduardo de Menezes retornarão, de forma gradativa, conforme suas condições clínicas, e que o atendimento ambulatorial seria retomado ao longo do dia, assim como as admissões em enfermaria e UTI. (Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira)


Publicidade