Publicidade

Estado de Minas

Dengue: com a maioria dos leitos já ocupada, prefeitura inaugura unidade de urgência

Unidade de Reposição Volêmica oferece hidratação venosa aos pacientes que enfrentam quadros mais críticos da doença. Nesta segunda-feira (22), 21 dos 25 leitos já estavam com pacientes


postado em 22/04/2019 19:57 / atualizado em 24/04/2019 19:41

 



 

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), inaugurou a Unidade de Reposição Volêmica na noite desta segunda-feira (22). Situada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Centro-Sul, no Bairro Santa Efigênia, o centro de emergência oferece hidratação venosa aos pacientes mais graves, que são encaminhados por outras UPAs espalhadas pela cidade.

Estação de hidratação já tinha 21 dos seus 25 leitos ocupados na noite desta segunda-feira, dia da inauguração da estrutura na UPA Centro-Sul(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
Estação de hidratação já tinha 21 dos seus 25 leitos ocupados na noite desta segunda-feira, dia da inauguração da estrutura na UPA Centro-Sul (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)


O primeiro dia de funcionamento já foi de muito movimento na estação de reidratação. Dos 25 leitos disponíveis, 21 já estavam ocupados por pacientes vitimados pelo Aedes aegypti. “Foi só ter a divulgação (da abertura da Unidade de Reposição Volêmica) que tivemos um grande afluxo de pacientes do interior. Tivemos gente de Betim, Contagem, Sabará e Santa Luzia”, contou o gerente de Urgência e Emergência da SMSA, Alex Sander Sena.


Apesar da busca da população por amparo, o gerente destacou que os enfermos só serão encaminhados ao espaço de urgência depois de triagem dos médicos da prefeitura. “Essa unidade é específica, que precisa ser referenciada. Nossas UPAs têm um telefone que o médico ligará pra cá para poder discutir e enviar o caso. É um cuidado especializado”, disse.


De acordo com o gerente de Atenção Primária à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de BH, Fabiano Guimarães, o objetivo é receber aqueles pacientes que precisam de hidratação mais intensa enquanto ficam em observação para repetir o exame de sangue e avaliar o andamento do tratamento.


Guimarães também destaca que o objetivo é aliviar as vagas nas UPAs, aumentando a chance de rotatividade para entrada de novos pacientes.


Balanço


A epidemia de dengue que atinge Minas Gerais já infectou 140.754 pessoas, o equivalente a uma média de 1.268 casos prováveis – que englobam os suspeitos e confirmados – por dia. Os dados estão no boletim epidemiológico de monitoramento divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) nesta segunda-feira (22).


Quanto às mortes, o número permanece em 14, mas outros 57 óbitos ainda estão sob investigação. Com isso, as vidas perdidas podem chegar a 71.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade