Publicidade

Estado de Minas

Temporal com granizo causa estragos e deixa Simão Pereira sem luz

Trinta minutos foram suficientes para derrubar árvores, danificar imóveis e deixar feridos na cidade. Nesta quinta-feira, moradores ainda estão sem energia


postado em 06/12/2018 09:14 / atualizado em 06/12/2018 12:15



Uma chuva de granizo com ventos fortes devastou Simão Pereira, na Zona da Mata, na tarde de quarta-feira. Os moradores disseram nunca ter visto algo igual na cidade, que tem pouco mais de 2,5 mil habitantes. Pelo menos três pessoas ficaram feridas. Na zona rural, a população pode ficar mais três dias sem energia elétrica.

A chuva começou por volta das 16h. Em apenas meia hora, o vendaval devastou a cidade. De acordo com o Corpo de Bombeiros, foram mais de 10 quilômetros de obstrução de vias desde a BR-040 até o centro de Simão Pereira. 

Com a intensidade do vento, muitas árvores, galhos e tronco ficaram caídos na estrada. Moradores ficaram assustados e alguns perderam tudo. 

Ver galeria . 22 Fotos Temporal em Simão Pereira derrubou árvores e deixou Simão Pereira, na Zona da Mata, sem água, energia elétrica e telefoneReprodução da internet/WhatsApp
Temporal em Simão Pereira derrubou árvores e deixou Simão Pereira, na Zona da Mata, sem água, energia elétrica e telefone (foto: Reprodução da internet/WhatsApp )


A cidade ficou sem luz, rede de telefonia e internet. Por pelo menos uma hora ninguém conseguia entrar ou sair da cidade. Para ajudar a reparar os danos, a prefeitura deve pedir apoio ao estado. 



Em Simão pereira 1,4 mil clientes estão sem energia na área urbana e rural desde ontem às 16h19. Além da linha principal de energia ter sido afetada, a reserva também foi danificada. Outras linhas estão interrompidas. De acordo com a Cemig vários cabos foram partidos, postes quebrados e muitas árvores ainda estão sobre a rede de energia.



No momento, 88 funcionários da Cemig estão na cidade. Doze funcionários de Barbacena foram requisitados pela companhia para ajudar nos reparos da rede. A previsão é de que na área urbana a maior parte dos clientes sejam religados até o fim da tarde de hoje. Da área rural pode demorar um pouco mais, cerca de três dias por conta da dificuldade de acesso.

A cidade também está sem fornecimento de água, que é feito por bombas. A queda de três postes ainda prejudica o sinal de telefonia.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade