Publicidade

Estado de Minas

PM prende três pessoas suspeitas de sequestro de família de gerente de banco

A quadrilha tentava assaltar uma agência bancária no crime conhecido como 'sapatinho'. Familiares do gerente foram liberados pelos bandidos no meio da tarde desta sexta-feira


postado em 19/10/2018 20:49 / atualizado em 19/10/2018 21:29

Intenção da quadrilha era roubar o banco na cidade(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press.)
Intenção da quadrilha era roubar o banco na cidade (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press.)

Foram presos, na noite desta sexta-feira, três pessoas envolvidas com a tentativa de assalto a banco com reféns em Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os criminosos foram encontrados durante um cerco feito pela Polícia Militar (PM) de diversas cidades da região. O grupo sequestrou a família de um gerente do Banco do Brasil na tentativa de levar dinheiro da agência bancária. Mas, o crime acabou frustrado. Os reféns foram liberados no meio desta tarde.

Durante levantamentos, policiais militares conseguiram chegar até um homem, que estaria procurando um local para se esconder em Matozinhos. “Esse homem teria, há alguns dias, levado um casal, a mando de um presidiário que se encontra na Penitenciária Nelson Hungria, para que levantassem informações a respeito de uma mulher da cidade. Segundo ele, essa mulher estava em um carro, que eles seguiram por algumas ruas. O casal registrou várias fotos dela”, explicou o Major João Washington Azevedo Rodrigues.

Depois de rodar em Matozinhos, o homem contou que retornou para Pedro Leopoldo com o casal, mas cobrou mais caro pela viagem. “Ele disse que tinha combinado o pagamento de R$ 60 e cobrou R$ 170. Por isso, o homem que estava com a mulher afirmou para eles irem até uma casa. Lá, um terceiro suspeito entregou o dinheiro”, disse o major.

Os militares realizaram levantamentos e conseguiram identificar o terceiro suspeito, que seria filho do detento da Nelson Hungria. “Conseguimos encontrar o homem que fez a corrida e os outros dois suspeitos. A mulher ainda não conseguimos identificar. Os três serão encaminhados para a Polícia Civil, que vai investigar a participação deles”, finalizou.

A quadrilha planejou 'o crime do sapatinho', quando sequestram familiares de funcionários do banco para roubar a agência, e colocou o plano em prática na noite dessa quinta-feira. Segundo os delegados Ramon Sandoli e Priscila Pereira Santos, responsáveis pela investigação, o gerente do BB foi abordado na noite de quinta-feira quando se dirigia para seu carro, logo após o serviço. “Ele viu o pneu do carro furado e quando se abaixou foi abordado por dois criminosos”, diz Sandoli.

Do local próximo à agência do BB, os bandidos foram com o gerente para a casa dele, onde também foram feitos reféns a mulher e dois filhos. Por volta das 23h, o trio foi colocado no porta-malas de um carro pequeno e levado para um cativeiro, onde passaram a noite com outros dois bandidos.

Na manhã de hoje, uma funcionária da família também foi rendida quando chegava para trabalhar e acabou levada para outro cativeiro. Os criminosos condicionaram a liberação de familiares e funcionária do gerente depois que ele entregasse o dinheiro do cofre da agência, ação marcada para às 11h.

Ramon Sandoli disse que as polícias Civil e Militar foram acionadas com informações de alguma situação estranha e cercaram a agência antes que a retirada do dinheiro se consumasse, frustrando os planos dos ladrões. Com a derrocada do plano, primeiro foi liberada a funcionária da família, em Ribeirão das Neves, na Grande BH. A mulher e dois filhos, de 6 e 12 anos, do gerente foram libertados na Praça São Vicente, no Bairro Padre Eustáquio, Noroeste de Belo Horizonte, no início da tarde desta sexta-feira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade