Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros avançaram por 3 horas em mata fechada na montanha para resgate

Os dois jovens de Macaé (RJ) que estavam perdidos na Serra Fina, no Sul de Minas, passam bem depois de 72h perdidos. Travessia é uma das mais difíceis do Brasil


postado em 19/09/2018 08:57 / atualizado em 20/09/2018 08:34

Os jovens perdidos encontraram um curso d'água no meio da montanha e o seguiram até conseguirem sinal telefônico(foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Os jovens perdidos encontraram um curso d'água no meio da montanha e o seguiram até conseguirem sinal telefônico (foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Um desvio de três horas das trilhas oficiais, abrindo caminho pela floresta de mata atlântica fechada das montanhas permitiu que um grupo de 10 bombeiros e quatro guias finalmente chegasse à dupla de jovens de Macaé (RJ), que estava perdida na Serra Fina, no Sul de Minas, desde o último domingo. Paulo José da Silva Gonçalves e Isaías Tavares Machado Júnior, ambos de 19 anos, iniciaram a travessia da serra no dia 12, no local conhecido como Toca do Lobo, em Cruzeiro (SP), e planejavam chegar ao fim de sábado. Contudo, quando conseguiram sinal de telefone, avisaram à equipe que os buscaria que só chegariam no domingo. Além de ser uma das mais difíceis travessias do Brasil, tempestades intensas e cerração impediram a navegação pelo terreno, levando-os a caminhos falsos e ao pedido de socorro. Conforme estimativas dos bombeiros de São Lourenço, esse foi o sexto caso de resgate das montanhas. Essa situação tem levado autoridades e gestores das Reservas Particulares de Preservação Natural (RPPN) da região a discutir ações de conscientização, segurança e até a regular o acesso local.

Na terça-feira, o pai de Paulo conseguiu contato com o filho, que enviou para os bombeiros sua posição por meio de um aplicativo. “Paulo entrou em contato por telefone, relatando que estavam bem, com alimentos para mais dois dias, repassando sua localização exata via aplicativo e informando algumas referências do local onde estavam, próximos a um curso de água”, informou o Corpo de Bombeiros, por meio de nota. Os jovens foram orientados a permanecer no local até que o socorro chegasse. Conforme a corporação, a dupla desceu do ponto mais alto da travessia, a Pedra da Mina, na sexta-feira. Deveriam chegar ao Pico dos Três Estados naquela tarde, mas ao passar pelo Pico do Cupim de Boi erraram o caminho, indo parar num vale estreito e de densa mata, onde acabaram seguindo o curso de um rio até conseguirem sinal para pedir socorro.

Paulo José e Isaías (com barbas), de 19 anos, e o alívio de serem resgatados pelos Bombeiros(foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Paulo José e Isaías (com barbas), de 19 anos, e o alívio de serem resgatados pelos Bombeiros (foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
O comando da operação de buscas, sediada numa das últimas etapas da trilha de travessia, o Sítio do Pierre, em Itamonte, traçou então um plano de ação. Foi acionada a equipe de resgate, que pernoitou nas montanhas. Esses socorristas já se encontravam no Alto dos Ivos. Eles estavam cerca de quatro quilômetros do local onde estava a dupla. Iniciaram a difícil marcha pela floresta às 13h e por volta das 16h, finalmente, avistaram Paulo e Isaías.

Equipes de resgate enfrentaram matas, montanhas, chuva e neblina densa para resgatar a dupla(foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Equipes de resgate enfrentaram matas, montanhas, chuva e neblina densa para resgatar a dupla (foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Por meio de mapeamento, os bombeiros puderam traçar um caminho diferente para ir embora, até uma propriedade rural. Segundo os militares da equipe de resgate, a dupla se encontrava “bem, hidratados, alimentados e relativamente descansados”, informou. O retorno se deu com duas horas de deslocamento, com achegada ao Recanto da Serra, às 18h. “Em seguida, os jovens foram levados pelos bombeiros para a Santa Casa de Misericórdia de Itamonte, por volta das 19h30.”


REDES SOCIAIS  As ocorrências de desaparecimento na Serra Fina têm sido mais frequentes com a divulgação de aventuras pelas redes sociais. Em julho deste ano, bombeiros de Minas e a Polícia Militar de São Paulo resgataram o paulista Luís Cássio Bezerra de Santana, de 27, que ficou perdido por oito dias no maciço. Foram três dias de buscas.

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade