Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros encontram corpos de vítimas do acidente de helicóptero

Aeronave bateu em uma montanha em Espirito Santo Dourado, no Sul de Minas, no sábado, e corpos só foram encontrados nesta manhã


postado em 18/06/2018 12:36 / atualizado em 18/06/2018 12:56

Ver galeria . 6 Fotos Investigações sobre as causas do acidente envolvem esforços do Corpo de Bombeiros e do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III)Divulgação/CBMMG
Investigações sobre as causas do acidente envolvem esforços do Corpo de Bombeiros e do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) (foto: Divulgação/CBMMG )

Foram encontrados na manhã desta segunda-feira os corpos do piloto Luiz Gustavo Soares e do empresário Márcio Bissoli, que estavam no helicóptero PR-JMB que caiu na noite de sábado no Sul de Minas Gerais. 

 
Os dois corpos foram localizados entre 10h e 11h, e serão encaminhados para o Instituto Médico Legal de Belo Horizonte. 

Os bombeiros buscavam os corpos desde o início da manhã, depois do encerramento da perícia do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), por meio do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III). Os técnicos atuaram na região na tarde de domingo e recolheram materiais para análise. 

O acidente 

Ver galeria . 7 Fotos Destroços do helicóptero que caiu em Espírito Santo do Dourado, no Sul de MinasDivulgação/CBMMG
Destroços do helicóptero que caiu em Espírito Santo do Dourado, no Sul de Minas (foto: Divulgação/CBMMG )
 
Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros Ivan Neto, que esteve no local da queda, o helicóptero se chocou de frente com uma montanha, abrindo uma cratera. Os trabalhos de busca foram iniciados logo após a queda, ainda no sábado, e a suspeita é de que os corpos estivessem presos embaixo da carcaça da aeronave.

A aeronave partiu de Nova Lima, na Grande BH, às 17h30 de sábado, com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Teria apresentado problemas mecânicos durante o voo, entre Pouso Alegre e Espírito Santo do Dourado, no Sul de Minas, onde ocorreu a queda.

O aparelho modelo A 109S, fabricado pela empresa italiana Agusta e de prefixo PR-JMB, está alienado por uma instituição bancária e, de acordo com o Registro de Aeronavegabilidade Brasileiro (RAB), era operada pela Brauminas Logística e Transporte. Anteriormente, o Grupo JBS era o operador, mas teria arrendado o aparelho, cuja sigla do prefixo JMB seria referência ao nome do empresário Joesley Mendonça Batista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade