Publicidade

Estado de Minas

Suspeito de comandar tráfico em aglomerado é preso na Pampulha

Além de drogas e um kit para modificar armas, foram apreendidos R$ 14 mil. Segundo a PM, suspeito teria ligação com facção criminosa


postado em 04/04/2018 11:52 / atualizado em 04/04/2018 13:00

Materiais apreendidos na operação foram encaminhados à Polícia Civil(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Materiais apreendidos na operação foram encaminhados à Polícia Civil (foto: Polícia Militar/Divulgação)

Uma operação da Polícia Militar (PM) resultou na prisão de um jovem de 22 anos suspeito de comanda o tráfico de drogas no Aglomerado Vila Real, no Bairro Engenho Nogueira, na Região da Pampulha. A ação ocorreu na noite de terça-feira. Segundo a polícia, ele seria ligado a uma organização criminosa de São Paulo. Um comparsa dele, de 21 anos, também foi detido. Drogas, arma e dinheiro foram apreendidos;

Os policiais chegaram até os suspeitos, identificados pela PM como Alan Patrick Antony Ramos e Gustavo Henrique Dias Castro Amaral  após levantamentos do setor de inteligência da corporação e denúncias. Outros envolvidos no crime já haviam sido detidos anteriormente. 

Na noite de ontem, os policiais receberam a informação de que as drogas estavam em uma casa na Rua Engenho do Mar. Seguindo para o local, eles viram os dois homens saindo do imóvel e embarcando em um Palio branco e um Tucson prata. Eles foram interceptados no Anel Rodoviário. O motorista do Palio, Gustavo, jogou uma sacola para fora do veículo. Dentro dela estavam 254 pinos de cocaína e 228 pedras de crack. Já com Alan foram recolhidas duas porções de maconha, que ele alegou ser para uso próprio. Este último também autorizou que a PM fizesse buscas na casa dele, onde haviam sido observados antes. 

De acordo com a Polícia Militar, dentro do imóvel foram localizados mais de R$ 14 mil em dinheiro, maconha, cocaína, dois kits que transformam pistolas em submetralhadoras, munição, uma arma e materiais para embalar drogas. Alan assumiu a posse dos objetos apreendidos, disse que assumiu a gerência do tráfico após a prisão do chefe anterior e que é ligado a uma facção de São Paulo. Ainda segundo a PM, ele relatou que o comparsa o ajudava na entrega. O outro rapaz, por sua vez, confirmou a versão do primeiro, mas disse que não teve contato com a organização. Os suspeitos e o material apreendido foram levados para a Central de Flagrantes da Polícia Civil (Ceflan) 4. 

Segundo a Polícia Civil, Alan Patrick e Gustavo Henrique terão as prisões ratificadas por tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte de arma com numeração raspada e munição de uso restrito. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade