Publicidade

Estado de Minas

Saída de famílias da BR-356 pode terminar hoje, diz Urbel

Quatro das oito famílias restantes no local saíram na manhã desta quinta-feira. Ontem, operários começaram a demolir as casas. Muro de encosta tem risco de desabamento


postado em 22/03/2018 12:00 / atualizado em 22/03/2018 12:27

Demolição dos imóveis começou nessa quarta-feira (foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
Demolição dos imóveis começou nessa quarta-feira (foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
Mais quatro famílias deixaram os imóveis interditados na Vila São Bento, às margens da BR-356, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. As casas estão sob a encosta que ameaça ceder na altura do trevo do Belvedere. 

De acordo com a Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte (Urbel), as pessoas que saíram do local na manhã desta quinta-feira estão indo para outros imóveis no Bairro Santa Lúcia. Antes de se mudarem, técnicos fazem uma vistoria nos novos endereços para ver sele eles têm condições de receber os moradores. A expectativa da Urbel é de que as outras quatro famílias restantes na vila deixem o local ainda hoje. 

Na quarta-feira, operários começaram a demolir as casas com risco na Vila São Bento. O objetivo é abrir caminho para as máquinas agirem na contenção da encosta da BR-356 e evitar que o muro venha abaixo, o que teria potencial para causar uma tragédia.

Na edição desta quinta-feira, o Estado de Minas mostra que engenheiros do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG) apostam na contenção de uma placa específica do muro de concreto que está mais instável, para eliminar o maior risco em alguns dias, embora ainda sem prazo determinado. Depois, o trabalho vai se concentrar nas demais placas, cujo risco é menor, com a perspectiva de estabilização de toda a estrutura em três meses.

Emergência é reconhecida 


O governo federal reconheceu a situação de emergência em Belo Horizonte em função das fortes chuvas no município nos últimos dias. A portaria foi publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União (DOU). O decreto do prefeito Alexandre Kalil (PHS) é do último dia 20. Com isso, a administração municipal espera recursos da União para enfrentar os danos na capital. 

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Em entrevista coletiva concedida na manhã desta quinta-feira na sede da prefeitura de BH, Alexandre Kalil e o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, disseram que a administração municipal vai enviar, nas próximas duas semanas, um plano de ação relacionado aos estragos causados pela chuva. Esse documento vai definir quais locais serão contemplados e quais recursos serão destinados.

Após a reunião, Kalil, a equipe da prefeitura e o ministro Helder Barbalho visitaram a BR-356 para ver a situação no local e o andamento dos trabalhos. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade