Publicidade

Estado de Minas

Jovem acusa primo de estuprá-la durante prática com 'chá antigravidez'

Suspeito negou o crime e disse que a relação sexual foi consensual, mas a versão foi rebatida pela vítima que acusa o primo


postado em 17/01/2018 11:54 / atualizado em 17/01/2018 18:39

A Polícia Civil vai investigar uma ocorrência em que um homem de 33 anos teria estuprado a prima, de 18, enquanto fazia um chá que evita a gravidez a pedido da jovem. O crime ocorreu na manhã dessa terça-feira, no Bairro Cerrado, em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. 

De acordo com a Polícia Militar, a jovem disse que a agressão ocorreu por volta de 9h. A corporação foi acionada às 19h20. A vítima contou que o primo foi à casa dela para fazer um chá que evitaria a gravidez, a pedido dela. 

Ainda segundo a jovem, o primo disse a ela que o chá teria de ser aplicado nas partes íntimas do corpo e, para isto, ela teria que ficar apenas de saia. Após isto, o agressor jogou a prima em uma cama e cometeu o estupro, segundo a PM. 

O primo da vítima foi preso e negou o crime aos policiais, alegando que a relação sexual foi consensual. O homem confirmou que foi à casa da prima para fazer o chá e que os dois combinaram de se relacionar sexualmente antes mesmo de ele chegar a Patos de Minas. 

Militares informaram que o suspeito disse, durante o registro da ocorrência, que perguntou à prima se ela queria o fim da relação sexual, mas ela teria pedido para que ele continuasse o ato. 

Aos policiais, a prima rebateu a versão do suspeito e disse que ela pediu para que ele interrompesse o ato sexual, mas ele não atendeu ao pedido. A jovem ainda afirmou que durante o crime, o primo teria pedido ao filho dela, uma criança que não teve a idade informada, para ir brincar no quintal da casa. 

O suspeito seguiu negando o crime e afirmou que a criança permaneceu no quarto com o casal. A ocorrência foi entregue à delegacia da Polícia Civil em Patos de Minas, onde as circunstâncias do estupro serão apuradas.

A Polícia Civil informou que o homem foi preso em flagrante por estupro e o caso foi encaminhado à Delegacia Especializada de Crimes Contra a Mulher da cidade.
 

* Estagiário sob supervisão do subeditor Fred Bottrel

  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade