Publicidade

Estado de Minas

Paciente de Viçosa internado com suspeita de febre amarela morre em BH

Exames ainda vão confirmar ou descartar o diagnóstico


postado em 17/01/2018 10:05 / atualizado em 17/01/2018 10:20

Com o maior número de mortes na RMBH, Nova Lima vem fazendo campanhas de vacinação e decretou estado de emergência em saúde pública(foto: Alexandre Guzanshe: EM/D.A Press )
Com o maior número de mortes na RMBH, Nova Lima vem fazendo campanhas de vacinação e decretou estado de emergência em saúde pública (foto: Alexandre Guzanshe: EM/D.A Press )

Um homem de 61 anos que morava em Viçosa, na Zona da Mata do estado, morreu na manhã desta quarta com suspeita de ter contraído febre amarela. O paciente estava internado no Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte desde a noite da última segunda-feira.

 

A prefeitura de Viçosa confirmou a morte do homem nesta manhã. O paciente era produtor rural e morava próximo ao município de Estiva. A vítima deu entrada no domingo no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital São Sebastião, ainda em Viçosa, mas o quadro se agravou e ele foi transferido ao Hospital Eduardo Menezes, considerado referência. 

 

Ainda segundo a prefeitura de Viçosa, o homem apresentava dor na barriga, febre, sinais hemorrágicos e disfunção renal, sintomas de febre amarela. A vigilância epidemiológica da secretaria de Saúde de Viçosa aguarda o resultado dos exames laboratoriais em andamento na Fundação Ezequiel Dias (Funed) - só isso pode confirmar ou descartar que a febre amarela tenha levado à morte.

 

Diante da suspeita, a prefeitura de Viçosa informou que uma reunião nesta manhã com o secretário de saúde da cidade, a equipe de vigilância epidemiológica e a Gerência Regional de Saúde de Ponte Nova vai traçar a nova estratégia de imunização da população. 

Minas Gerais em alerta 

Como o Estado de Minas mostrou na edição impressa desta quarta-feira, municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte estão em alerta com a escalada da febre amarela na Região Sudeste do Brasil. 

 

Em Nova Lima, já são cinco mortes confirmadas e a prefeitura da cidade, inclusive, decretou emergência. Nessa terça-feira, um morador da Região do Barreiro, em Belo Horizonte, teve a morte confirmada em decorrência da febre amarela, contabilizando 13 mortes pela doença em Minas Gerais entre o fim de 2017 e o começo de 2018. 

 

Neste sábado, os centros de saúde de BH estarão abertos para vacinação contra a febre amarela. Em todo o país, são ao menos 38 mortes pela enfermidade. Baixa cobertura vacinal na divisa de Minas Gerais com São Paulo eleva a atenção.

(* Estagiário sob supervisão do subeditor Fred Bottrel)

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade