Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura confirma baixa quantidade de insulina glargina em BH

Produto é utilizado por diabéticos que têm mais possibilidade de apresentarem hipoglicemia. Estado diz que fornecedor fez entrega parcial


postado em 10/01/2018 11:48 / atualizado em 10/01/2018 11:58

(foto: Euler Junior/EM/D.A Press - 4/6/2008 )
(foto: Euler Junior/EM/D.A Press - 4/6/2008 )
A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, por meio da PBH, divulgou uma nota sobre o desabastecimento da insulina glargina nos postos de saúde da capital. No ano passado, o em.com.br mostrou pacientes com dificuldades para conseguir o hormônio nas unidades. Nessa terça-feira, o Executivo informou que vem recebendo do Estado uma quantidade inferior à necessária.

A insulina Glargina (Lantus), injetável e de longa duração, é indicada aos diabéticos que têm mais possibilidade de apresentarem hipoglicemia. Na nota, a Secretaria esclarece que a responsabilidade de aquisição, repasse e fornecimento da é da Secretaria de Estado de Saúde. O Município é responsável apenas pela distribuição do hormônio por meio dos 152 centros de saúde de BH. 

“Desde maio de 2017, a Secretaria Municipal de Saúde recebe a Insulina Glargina em quantidade inferior à necessária ao atendimento dos pacientes”, diz a Secretaria Municipal de Saúde na nota. “Nesta semana, a SES-MG autorizou para Belo Horizonte apenas 490 Insulinas Glarginas para distribuição. Entretanto, a necessidade é de 2.845 Insulinas Glarginas. Isto corresponde a menos de 20% da demanda real”, diz o texto. 

A pasta diz que, assim que recebida, a insulina será distribuída nas unidades de saúde conforme o quantitativo recebido pela SES-MG. A prefeitura também sugere  que os cidadãos entrem em contato com o governo do estado para mais informações, por meio deste link

Por meio de nota enviada ao em.com.br nesta quarta-feira, a Secretaria de Estado de Saúde informou que recebeu um quantitativo parcial do produto do fornecedor. Leia na íntegra:

“A SES-MG esclarece que o fornecedor responsável pela insulina Glargina fez a entrega de um quantitativo parcial do produto. A partir daí, a SES-MG fez a distribuição às regionais de saúde que, por sua vez, têm a atribuição de remeter o insumo aos municípios sob sua jurisdição. Apesar do cenário de dificuldade financeira que o Estado tem enfrentado, fato que levou o fornecedor a suspender anteriormente a entrega, a SES-MG vem buscando formas de assegurar a completa distribuição do produto.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade