Publicidade

Estado de Minas

Homem é preso por aplicar golpe de cerca de R$ 150 mil em idoso em BH

Outras duas pessoas foram vítimas do estelionato. Uma mulher que atuava com o detido ainda é procurada pelos policiais


postado em 30/08/2017 11:18 / atualizado em 30/08/2017 16:44

Uma denúncia de estelionato contra um idoso de 75 anos terminou com a prisão de um homem na noite dessa terça-feira no Bairro Glória, na Região Noroeste de Belo Horizonte.

Uma mulher, comparsa do suspeito, ainda é procurada pela Polícia Militar.

Outras duas pessoas foram vítimas do casal no golpe que rendeu para os suspeitos cerca de R$ 150 mil.

De acordo com as informações do Boletim de Ocorrências, o idoso, de 75 anos, desconfiou de um saque realizado na conta bancária dele no valor de R$4 mil. No banco em que é correntista, a vítima foi informada pelo gerente que a operação foi realizada por Jonathan Brendow Lopes de Oliveira, de 21 anos, e por Natália Oliveira Silva, de 28. 

O casal estava com uma procuração assinada por ele e autenticada em cartório e que dava plenos poderes para que eles movimentassem a conta bancária. Desconhecendo o documento, o idoso foi até a unidade onde a procuração foi expedida.

No cartório onde foi emitido o documento, conforme o BO, o idoso constatou que a dupla havia ido ao local no dia 10 de julho com documentos dele e pedido para que um funcionário da unidade fosse até uma casa na Rua Abigail Pimentel Tavares, no Bairro Glória, para colher as assinaturas que autorizariam a dupla a responder pelo idoso.

O funcionário do cartório que atendeu os suspeitos informou ao tabelião da unidade sobre o pedido e ainda apresentou um atestado médico levado pela dupla que informava sobre um acidente sofrido pela vítima, que estaria com graves queimaduras por todo o rosto, motivo que impossibilitaria a presença no cartório. O pedido foi protocolado e o funcionário foi até o endereço indicado no Bairro Glória. 

No imóvel, segundo a PM, o funcionário do cartório informou ter visto um idoso que se passou pela vítima e que estava acamado e com o rosto coberto, deixando apenas o nariz e a boca à vista, confirmando as características descritas no atestado médico. As assinaturas foram colhidas e o documento, expedido.

Ciente do golpe sofrido, o idoso foi até uma companhia da Polícia Militar com o funcionário do cartório e denunciou a dupla. Militares se deslocaram até o endereço onde a procuração foi assinada, que seria o endereço de Natália e, inicialmente, não encontraram ninguém no imóvel. Porém, minutos depois, Jonathan Brendow chegou ao local em um Civic e foi abordado pelos policiais.

Os policiais constataram que os documentos de licenciamento e o recibo de compra e venda do carro estavam em nome de outra pessoa e que o suspeito não tinha carteira de habilitação. Questionado pelos militares, Jonathan informou que havia comprado o carro em uma agência da Avenida Abílio Machado.

Viaturas foram ao local e conversaram com o proprietário do estabelecimento, que informou ter entregado o carro ao homem como parte do pagamento de um terreno que Jonathan e Natália estavam negociando com ele.

O veículo estava avaliado em R$ 33.900, segundo o dono da agência. Ainda conforme o relato do comerciante à Polícia Militar, 15 cheques no valor de R$5 mil também foram entregues ao casal, além de dois depósitos bancários nos valores de R$10 mil e R$25 mil. Ao todo, a dupla faturou cerca de R$ 150 mil com o golpe.

De acordo com a Polícia Civil, em depoimento o idoso contou que já teve a casa roubada em 10 de julho. Na ocasião, os criminosos levaram alguns objetos, documentos de identidade e duas escrituras de imóveis. Disse, ainda, que começou a notar os golpes em 27 de julho. Ele teve conhecimento de que uma mulher tinha uma procuração no nome dele para fazer as transações. O homem voltará a ser ouvido ao longo das investigações.

O veículo em que Jonathan estava foi apreendido e o homem foi preso. Natália Oliveira, no entato, não foi encontrada e segue sendo procurada pelos policiais.

* Sob supervisão do editor Benny Cohen

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade