Publicidade

Estado de Minas

BH volta a ter a maior temperatura do inverno e o dia mais seco do ano

Temperatura na capital mineira atingiu 32,1º C na Região da Pampulha. Já a umidade relativa do ar ficou em 15%, o que é considerado estado de alerta pela OMS


postado em 10/08/2017 16:06 / atualizado em 10/08/2017 22:22

Na manhã desta quinta-feira, a névoa cobriu a cidade(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Na manhã desta quinta-feira, a névoa cobriu a cidade (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)

Belo Horizonte teve um dia de verão em pleno inverno. A temperatura na capital mineira atingiu 32,1º C na Pampulha na tarde desta quinta-feira, a maior marca resgistrada na estação neste ano. A preocupação é com a baixa umidade relativa do ar. A cidade teve o dia mais seco de 2017, com o índice atingindo 15%, o que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), configura estado de alerta. Para se ter ideia, no deserto a umidade fica em 12%.

Os moradores da capital mineira têm enfrentado mudanças drásticas neste inverno. A estação foi considerada a mais fria em décadas, mas, pelo segundo dia consecutivo, a cidade registra altas temperaturas. Na quarta-feira, os termômetros atingiram 30,1º C, que até então era a maior marca deste inverno.

Porém, o calor deve dar uma trégua nos próximos dias. “A partir de amanhã (sexta-feira), o vento muda de direção por causa de um sistema de alta pressão que está próximo ao litoral Sudeste. Por isso, os ventos gelados e mais úmidos vão dar uma aliviada neste calorão”, explica o meteorologista Cleber Souza, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O alívio deve ser sentido na Zona da Mata, Campos das Vertentes e Região Metropolitana de BH.

Cidades do Triângulo Mineiro e das regiões Norte e Noroeste vão continuar sofrendo com as altas temperaturas. “É uma característica do inverno predominante sobre o Centro do Brasil, uma massa quente e seca. Não temos nenhuma frente para quebrar esse quadro”, alertou Cleber Souza. Nesta quinta-feira, a maior temperatura de Minas Gerais foi em São Romão, na Região Norte de Minas, onde os termômetros marcaram 37,2ºC.

Tempo seco

Junto com a alta temperatura, a capital mineira vem sofrendo com a baixa umidade relativa do ar. Os índices ficaram em 15% na estação Cercadinho, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, o que requer cuidados com a saúde. A OMS considera o índice entre 21% e 30% como estado de atenção; entre 12% e 20%, de alerta, e abaixo de 12%, estado de emergência. O índice considerado ideal é 60%.

Em Espinosa e Salinas, na Região Norte, a situação foi ainda mais crítica. Os índices chegaram a 12%, o que se assemelha ao clima de deserto.

Com o tempo seco, o período recomendado para a prática de atividades físicas é antes das 10h e após as 17h. Outras orientações são usar roupas leves, fazer refeições leves, incluindo frutas e verduras, além de usar sombrinha ou guarda-chuva para andar nas ruas no período mais quente. A hidratação deve ser reforçada para as crianças, com a ingestão de bastante líquido. Os idosos também exigem atenção, pois são suscetíveis a problemas respiratórios. Para reduzir as consequências do clima seco, a receita é investir na hidratação, consumindo muitos líquidos e lavando o nariz com soro fisiológico, além de hidratar a pele.

Queimadas

A mistura de tempo seco e alta temperatura também aumenta o risco de incêndios. Nesta quinta-feira, o Parque Estadual Serra Verde, localizado na Região de Venda Nova, próximo à Cidade Administrativa, voltou a sofrer com queimadas. Chamas destruíram a vegetação da área verde pela terceira vez em menos de uma semana. As causas da nova ocorrência ainda estão sendo apuradas. O fogo foi detectado por bombeiros e brigadistas que estavam em treinamento no parque e iniciaram o combate. Eles foram auxiliados por um helicóptero do Previncêndio que lançou água contra as chamas.

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade