UAI
Publicidade

Estado de Minas COMBUSTÍVEIS

Transportadores de combustível descartam greve, pelo menos por enquanto

Apesar de não descartar a possibilidade de uma potencial paralisação, Sindtanque deve intensificar pressão para reduzir o custo do diesel


21/06/2022 23:50 - atualizado 22/06/2022 00:12

Mangueira de combustível enchendo carro
Sindicato diz que ainda não deve realizar uma paralisação, por hora (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

 

Após convocar uma assembleia emergencial com a intenção de debater o reajuste do preço do diesel, o Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque-MG) afirmou, nesta terça-feira (21/6), por meio de nota, que não vai fazer uma greve neste momento, mas que deve intensificar a pressão em Brasília para cobrar um posicionamento oficial sobre a política de preços da companhia.

Entre as decisões tomadas na reunião, a entidade decidiu que deve cobrar que o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) seja reduzido imediatamente para 12% em Minas Gerais, percentual praticado até 2011.

A sanção do projeto de lei que limita a alíquota do ICMS sobre combustíveis no Brasil, aprovado no Congresso Nacional, também é uma exigência dos transportadores.

Não ficou descartado a possibilidade da categoria fazer uma potencial paralisação por tempo indeterminado, caso o preço do diesel não seja reduzido nas próximas semanas.

O presidente do sindicato, Irani Gomes alertou, na sexta-feira (17/6) que "as transportadoras esperavam uma redução e não mais um aumento" e disse que com a política de equiparação de preço com o mercado internacional fica "impossível transportar".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade