UAI
Publicidade

Estado de Minas PARA ALIVIAR O BOLSO

Pais aumentam busca por materiais usados para encarar gastos escolares

Mesmo com incertezas sobre retorno a aulas presenciais, 30,48% dos consumidores confirmam despesas com itens escolares


28/01/2022 09:36 - atualizado 28/01/2022 13:40

Pessoas fazem compra em papelaria de BH
Consumidores gastarão mais com material escolar em relação ao ano passado (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Os pais e as mães estão recorrendo a materiais usados e às compras em conjunto para aliviar o bolso, durante os gastos escolares, neste início de ano. Levantamento divulgado nesta sexta-feira (28/1) mostra que o percentual de responsáveis pelos alunos que vão buscar apostilas e livros didáticos usados neste ano é quase três vezes superior ao registrado no ano passado.

 

A pesquisa é da Fundação Ipead/UFMG. Do total, 45% afirmam que vão lançar mão dessa tática na hora de comprar materiais escolares. No ano passado, esse percentual foi de 16,07%. Outro salto observado neste ano foi do percentual de pais e mães que vão realizar compras com outros pais para negociar descontos: 12,5%, em 2022, ante 1,79% no ano passado.

 

O levantamento ainda mostra que a quantidade de consumidores pesquisados que vão ter gasto com material escolar também aumentou: 30,48% dos pais, o que representa uma alta de 14,16% em relação a 2021. Ano passado esse percentual foi 26,70%.  

 

A maioria dos entrevistados informou que efetuará o pagamento das compras de material escolar à vista, com dinheiro ou cartão de débito automático. Entretanto, houve redução de 2,9% nessa modalidade de pagamento em relação ao ano passado (48,21% em 2021 para 45,31% em 2022), menor patamar em toda a série histórica da pesquisa. 
 
Já os pagamentos parcelados com cartão de crédito também bateram o recorde em sete anos de pesquisas, subindo de 33,93% no ano passado, para 35,94% em 2022.
 
Arte mostrando como o consumidor pretende pagar o material escolar
Como o consumidor pretende pagar o material escolar do filho (foto: Arte/EM)
 
 
Este é o sétimo ano consecutivo da pesquisa sobre o Dispêndio com Material Escolar, que é aplicada juntamente com o Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte (ICC BH) e tem o objetivo de avaliar o percentual de consumidores da capital mineira que apresentarão esse gasto específico, e quais estratégias pretendem utilizar para comprar melhor.
 
Essa pesquisa é realizada uma vez ao ano, no mês de janeiro, com 210 consumidores que respondem a pesquisa do ICC BH, seguindo o mesmo dimensionamento amostral e recortes por sexo e renda familiar. 
 

Preços em alta

 
Pesquisa divulgada na segunda-feira (24/1) pelo site Mercado Mineiro, feita a partir de preços nas papelarias de Belo Horizonte e Região Metropolitana, revelou a variação de preços na lista de material escolar. 
 
Veja a variação de preços médios de alguns itens
 
  • borracha branca nº20 licenciada - 111% de aumento no preço médio
  • tesoura escolar inox ponta redonda licenciada - 132%
  • gizão de cera com 12 cores licenciado - 114%
  • cola branca 90g genérica - 105%
  • cola branca 90g licenciada - 111%
  • caderno brochurão capa dura 96 folhas licenciado - 63%
  • caderno universitário espiral capa dura 200 folhas licenciado - 60%
  • apontador com reservatório de marca genérica - 48%


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade