UAI
Publicidade

Estado de Minas EXPOMINAS

Feira Nacional de Artesanato começa nesta terça-feira (7/12) em BH

A 32ª edição do evento acontece no Expominas e, neste ano, tem o tema Rotas do Brasil


07/12/2021 17:48 - atualizado 07/12/2021 21:33

Exposição de produtos
A Feira Nacional de Artesanato acontece até domingo, no Expominas (foto: Feira de artesanato/reprodução)
A 32ª edição da Feira Nacional de Artesanato começa nesta terça-feira (7/12), no Expominas, no Bairro Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte. O evento, que neste ano tem o tema Rotas do Brasil, vai até o próximo domingo e reúne milhares de artesãos de todo o país.

 

 

 

O avanço da vacinação contra a COVID-19 permitiu uma maior flexibilização das medidas sanitárias de prevenção contra o coronavírus.

A Feira vai mostrar o Brasil Feito à Mão, com 620 estandes e público esperado de 100 mil pessoas. Uma novidade é a volta de shows e atrações artísticas e culturais que foram suspensas na edição de 2020, por causa da pandemia. Neste ano, o evento terá cerca de 30 atrações de música e dança, além de cortejos folclóricos que percorrem todo o espaço da exposição.

Atrações


Logo na entrada da feira, os visitantes vão poder apreciar as obras do artista mineiro Leonardo Bueno. A mostra reúne peças que traçam uma linha do tempo desde o trabalho como artesão em 2004, até o sucesso em exposições internacionais. Natural de Maria da Fé, na Região Sul de Minas, Bueno é designer, escultor e suas obras em madeira já estiveram em salões em Paris, Londres, Frankfurt, Bratislava, Milão, Viena e Praga.

Descendo as escadas rolantes, fica o Programa de Artesanato Brasileiro (PAB), que abre espaço para novos talentos nacionais e apresenta artesanato de Norte a Sul do país. O Grande Pavilhão do Expominas receberá artesãos de todos os estados e representantes de outros países.

O público poderá conferir uma área com artesãos selecionados de todo o Brasil, assinado pelo SEBRAE Nacional e pelo Centro De Referência do Artesanato Brasileiro (CRAB), além de participar de oficinas diárias gratuitas de artesanato, com mestres que vão demonstrar suas técnicas. 

Ainda no pavilhão há a ilha do Conhecimento, organizada pelo SEBRAE/CRAB e o Ministério da Economia, por meio do PAB, que oferece consultoria gratuita com especialistas em gestão, empreendedorismo, exportação, entre outros assuntos de interesse dos artesãos. Expositores e visitantes também podem assistir a palestras com personalidades, além de autoridades e profissionais do SEBRAE que vão apresentar casos de sucesso de artesãos de outros estados.


Trabalhos de povos indígenas


O Brasil de Norte a Sul, espaço do Ministério do Turismo, apresenta belezas naturais e pontos turísticos do país. A diversidade cultural e a criatividade do artesanato brasileiro também estarão representadas na área da Confederação Brasileira de Artesanato, com obras de 11 estados. 

Parte do pavilhão é destinado à mostra de trabalhos de povos indígenas de 15 etnias. Já estão confirmadas as presenças de representantes de tribos Pataxó, da Bahia e de São Paulo; Umutina e Mehinako, ambos de Mato Grosso; Kariri-xocó, de São Paulo e Fulni-ô, de Pernambuco. No ano passado, treze etnias puderam exibir seus trabalhos. 

O governo de Minas Gerais tem uma área especial de aproximadamente 500 m², onde artesãos do estado podem apresentar seus trabalhos, selecionados por meio de edital.

Estudantes do ensino fundamental de BH, de Nova Lima, na Região Metropolitana, e de Mariana, na Região Central, trazem uma exposição sobre a percepção do artesanato. Os melhores trabalhos escolhidos pelo público vão ser premiados com um tablet. 

A Feira promove ainda uma exposição de fotos sobre o Turismo Nacional, que vão estar espalhadas por todo o pavilhão; e outra sobre o minério e como ele está presente em nossas vidas. Já no Espaço Post It, os visitantes poderão deixar mensagens, dúvidas e opiniões sobre temas de interesse.

Feira Virtual


Por meio de uma plataforma inovadora e interativa que apresenta imagens em 360º do stand, internautas de qualquer parte do Brasil e do mundo poderão fazer um tour pelo evento, conhecer a história do artesão, ver o catálogo de produtos, entrar em contato com os expositores e fazer os pedidos, na versão virtual da feira. O conteúdo será apresentado também em inglês para atender compradores internacionais. 

A Feira Virtual ficará disponível até novembro de 2022.

Neste ano, o evento terá no quadro de prestadores de serviço pessoas da terceira idade e pessoas com necessidades especiais de audição. A boa mesa também marca presença no pavilhão do Expominas, no Espaço Botequim, que terá diversão garantida com happy hour com pocket shows diários para o fim da tarde durante os seis dias do evento.

A Feira Nacional de Artesanato é uma realização do Instituto Centro de Capacitação e Apoio ao Empreendedor (Centro Cape), ONG promotora do evento e braço do Mãos de Minas, que é a maior central de cooperativas de artesãos do Estado

O valor do ingresso é de R$ 20, para qualquer dia do evento. Pessoas com mais de 60 anos e menores de 12 anos não pagam, mas, seguindo a determinação dos protocolos sanitários da prefeitura, devem fazer um cadastro prévio.

32ª edição da Feira Nacional de Artesanato


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade