UAI
Publicidade

Estado de Minas RESULTADOS

Usiminas bate recorde em produção de ferro e presidente comemora

Balanço do terceiro trimestre foi divulgado nesta sexta-feira com reporte de lucro bruto em R$ 3,1 bilhões


29/10/2021 17:32 - atualizado 29/10/2021 17:56

Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Usiminas, considerado o maior da América Latina, é responsável pela concepção de aços de alto valor agregado
Usiminas bateu marca de vendas de aço em 1,2 milhão de toneladas no terceiro trimestre de 2021 (foto: Elvira Nascimento - Usiminas/Divulgação)

A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais ( Usiminas ) divulgou, nesta sexta-feira (29/10), os resultados do terceiro trimestre do exercício de 2021 (3T21). Apesar da queda no lucro em relação ao período anterior, a produção de minério de ferro bateu recorde com 2,5 milhões de toneladas.

O lucro bruto foi de R$ 3,1 bilhões de julho a setembro, o que representa uma redução de 13,9% em relação ao segundo trimestre (R$ 3,6 bilhões).

O destaque positivo é com relação ao volume de produção para a Unidade de Mineração, uma elevação de 15,5% em comparação ao 2T21 (2,2 milhões de toneladas), principalmente pela retomada operacional da Mina Leste no final do 2T21 e performando durante todo o 3T21.

O volume de vendas atingiu 2,4 milhões de toneladas no 3T21, superior em 17,7% em relação ao 2T21 (2,1 milhões de toneladas). O relatório divulgado hoje ainda destaca o crescimento das vendas para a Usiminas em 65,7% e 5,5% para o mercado externo, com o embarque de 10 navios, em linha com o trimestre anterior.

Confira os destaques:
  • Vendas de aço de 1,2 milhão de toneladas
  • Produção de minério de ferro de 2,5 milhões de toneladas, recorde para a Unidade
  • Vendas de minério de ferro de 2,4 milhões de toneladas
  • Receita líquida de R$9,0 bilhões
  • EBITDA Ajustado de R$2,9 bilhões
  • Lucro Líquido de R$1,8 bilhão
  • Caixa de R$7,3 bilhões, R$1,2 bilhão superior à dívida bruta

O presidente da empresa, Sergio Leite de Andrade, comemora os números. “São resultados sólidos, estamos consolidando a construção do ano de 2021 como o melhor ano. O balanço é extremamente positivo, mostra que alcançamos um patamar muito sólido”, afirmou.

Em 30 de setembro, o Caixa e Equivalente de Caixa consolidado era de R$7,3 bilhões, superior em 20,5% em relação à posição de 30 de junho (R$6,1 bilhões). Segundo o presidente, o número foi possível dada a forte geração de Ebitda  (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no período. “Foi nosso melhor Ebitda do século”, confirmou.

A oscilação do dólar influenciou nos resultados. “O preço praticado no Brasil segue o dólar. Se o dólar sobe, o preço também sobe”, disse. “Mas foi um trimestre bom. Nossa equipe trabalhou muito bem. Viemos de uma fase muito difícil há 6 anos atrás e hoje temos uma empresa sólida com equipe capacitada, motivada e comprometida. Além disso, a economia cresceu mais do que a gente esperava.”


Em abril, o presidente da Usiminas já havia afirmado que a empresa venderia 5 milhões de toneladas de aço em 2021. “Vamos fechar o ano no patamar tal qual prevíamos no início do ano”, afirmou Sérgio.

O Capex (investimentos) do terceiro trimestre totalizou R$ 305 milhões, 9,1% inferior ao 2T21 (R$335 milhões). De acordo com o relatório, os investimentos foram aplicados, principalmente, em sustaining Capex, segurança e meio ambiente, sendo 77,9% na Unidade de Siderurgia, 20,9% na Unidade de Mineração, e 1,1% na Unidade de Transformação.

“Na mineração, os investimentos esse ano vamos atingir R$ 1,5 bilhões”, projetou o presidente. “É bom ter em mente que nos últimos seis anos a empresa aumentou gradativamente seus investimentos. A Usiminas está confiante na economia brasileira e investindo.”

Embora haja expectativa de desaceleração do crescimento econômico para 2022, Sérgio Leite confia no aumento do consumo de aço. “Não posso fazer projeções, mas podemos fazer alguns comentários. A expectativa com o mercado econômico é de um crescimento menor, mas em crescimento. Historicamente, ao longo dos tempos, a gente observa que sempre que há crescimento econômico, há crescimento de consumo de aço”, reforçou. 

Sustentabilidade

Além da questão financeira, o presidente da empresa também ressalta os feitos sociais e sustentáveis. Nos últimos três meses a empresa se destacou com evoluções relacionados à mudança climática e a divulgação de seu inventário de emissões na categoria ouro do GHG Protocol – uma das principais ferramentas para a identificação e cálculo de emissões de gases de efeito estufa. Os resultados obtidos com a conclusão do inventário suportarão a estratégia de combate à mudança do clima da Companhia.

Outro relevante passo em direção à agenda ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa) foi a interação junto à sua Cadeia de Valor. No mês de setembro, a Usiminas reuniu-se com clientes e fornecedores para apresentar sua estratégia de sustentabilidade e sua intenção de atuar em conjunto com estes públicos em prol do desenvolvimento sustentável.

“No geral, foi um ano positivo. A Usiminas está alinhada a mudanças climáticas, atenta à necessidade de neutralizar o carbono, fazendo com que o impacto das mudanças climáticas seja controlado. Estamos trabalhando nessa linha”, afirmou.

Clique aqui  para conferir o balanço completo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade