UAI
Publicidade

Estado de Minas EMPREGO

Fim de ano: empresários pretendem contratar mais temporários em Minas

Pesquisa da Fecomércio MG mostra que, para mais da metade dos entrevistados, a oferta de vagas será maior ou igual à do ano passado


27/10/2021 19:01 - atualizado 27/10/2021 19:30

Funcionários em loja de calçados de BH
As vagas temporárias podem ser porta de entrada para a recolocação profissional (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
O fim de ano está chegando e as datas comemorativas inflamam as vendas no comércio, e nesta época também crescem as chances de uma contração temporária.
Segundo pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG), 12,7% dos empresários do estado pretendem fazer esse tipo de contratação. 
 
De acordo com a pesquisa "Contratação de Temporários 2021", elaborada pela Federação, a oferta de vagas será maior ou igual ao ano passado para 53,5% dos entrevistados. Entre os cargos mais procurados são vendedores (79,6%), operadores de caixa (12,2%) e estoquistas (12,25).

A admissão de temporários é uma característica neste momento, afirma a Fecomércio MG, e os empresários devem aproveitar esta época, encontrando a melhor forma para cativar os clientes e impulsionar as vendas.
 
O levantamento foi realizado entre os dias 8 e 15 de setembro com empresários do comércio varejista das cidades de maior impacto no Produto Interno Bruto (PIB) do estado: Belo Horizonte, Betim, Contagem e Uberlândia. 

As maiores perspectivas de vagas temporárias estão concentradas nos segmentos de tecido, vestuário e calçados (29,7%) e supermercados, hipermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (10,6%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (9,7%); móveis e eletrodomésticos (9,5%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (8,0%).
 
Sobre a possiblidade de efetivação dos temporários, 59,1% das empresas afirmam que têm intenção, principalmente, nos meses de dezembro de 2021 e janeiro de 2022. O índice é 36,3 pontos percentuais (p.p.) superior ao ano passado, tornando as vagas temporárias uma porta de entrada para a recolocação profissional.  

As principais oportunidades de vendas neste fim de ano são a Black Friday e o Natal, segundo o economista-chefe da Fecomércio MG, Guilherme Almeida. "A economia vive um momento delicado, que se reflete no aumento da inflação, na dificuldade de acesso ao crédito e no desemprego. No entanto, o movimento tradicional de fim de ano deve beneficiar uma série de atividades , e, por consequência, gerar vagas temporárias".

Apesar da oportunidade que será oferecida por diversas empresas, mais da metade dos entrevistados (80,5%) não vai contratar temporários para este fim de ano e o principal motivo é a baixa movimentação nas lojas. 

Além disso, 30,6% dos entrevistados apontaram a falta de experiência e/ou capacitação (22,4%) e a dificuldade de se encontrar profissionais sem o perfil adequado para a função (18,4%) como fatores que dificultam a contratação de funcionários temporários.
 
*Estagiária sob supervisão 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade