UAI
Publicidade

Estado de Minas CRISE ENERGÉTICA

Ministro pede redução de uso de ar condicionado, ferro e chuveiro

Chefe da pasta de Minas e Energia, Bento Albuquerque pediu para que residências e empresas façam 'adesão voluntária' à redução do consumo de energia elétrica


31/08/2021 21:07 - atualizado 31/08/2021 21:07

Bento Albuquerque pediu redução do uso de ferros elétricos, chuveiros e ares condicionados por parte dos brasileiros(foto: Reprodução)
Bento Albuquerque pediu redução do uso de ferros elétricos, chuveiros e ares condicionados por parte dos brasileiros (foto: Reprodução)
Em pronunciamento transmitido em cadeia de rádio e televisão nesta terça-feira (31/8), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, reforçou a crise energética que o Brasil vive em função da escassez de água nos reservatórios. O ministro, então, pediu para que os brasileiros reduzissem o uso de três itens: ar condicionado, ferro elétrico e chuveiro.

Durante o pronunciamento, Bento Albuquerque não citou diretamente a criação de uma nova bandeira tarifária na conta de energia elétrica, que deve implicar em um aumento de 6,78% no bolso dos brasileiros. No entanto, o ministro deu algumas "dicas" para que a população economize, adotando, por exemplo, a redução do uso do ferro elétrico, chuveiro e ar condicionado, dando preferência para o período da manhã ou aos finais de semana.

"Uma redução média de 12% do consumo residencial, equivaleria ao suprimento de 8,6 milhões de domicílios. Podemos conseguir até mais, eliminando todo o desperdício de consumo de energia desligando luzes e aparelhos que não estão em uso, aproveitando mais a luz natural, reduzindo a utilização de equipamentos que consomem muita energia, como chuveiros elétricos, condicionadores de ar e ferro de passar. E o mais importante: dando preferência para o uso desses equipamentos durante o período da manhã e nos fins de semana", disse o ministro.

Bento Albuquerque pediu uma "redução voluntária" em um esforço conjunto entre residências e setores do comércio e de empresas. O ministro destacou que consumidores podem ter desconto na conta de energia elétrica. Mais cedo, o governo afirmou que pretende conceder vantagens para quem reduzir o consumo entre 10%a 20%, com um bônus de R$ 0,50 a cada quilowatt-hora economizado.

"Os consumidores que aderirem a este chamado e economizarem energia, certamente serão recompensados e poderão ter redução nas contas de luz", concluiu.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade