Publicidade

Estado de Minas CONTAGEM

CeasaMinas tem protesto contra a privatização

Sindicato convocou manifestação na manhã desta quarta-feira (2/6). Administração pela iniciativa privada gera questionamentos


02/06/2021 09:15 - atualizado 02/06/2021 09:26

Protesto pacífico ocorreu na porta da CeasaMinas no início da manhã. Entrada não foi fechada(foto: Sindsep-MG/Divulgação)
Protesto pacífico ocorreu na porta da CeasaMinas no início da manhã. Entrada não foi fechada (foto: Sindsep-MG/Divulgação)
Trabalhadores das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (CeasaMinas) participaram de um protesto no início da manhã desta quarta-feira (2/6) contra o indicativo de privatização do entreposto, que fica em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

O ato começou às 6h na portaria da Ceasa e terminou às 8h. A Polícia Militar (PM) acompanhou a manifestação, que ocorreu pacificamente. O Sindicato dos Trabalhadores Ativos Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal do Estado de Minas Gerais (Sindsep-MG) informou que cerca de 70 pessoas participaram da manifestação, com faixas e um carro de som. A entrada não foi bloqueada. 

Como o Estado de Minas mostrou em 27 de maio, a privatização da CeasaMinas, que vem sendo discutida desde 1999, pode sair do papel agora que o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) aprovou as condições para a venda da estatal para a iniciativa privada. Isso gerou dúvidas e até preocupação de alguns comerciantes. 

“Estamos em campanha contra a privatização. Primeiro o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) avaliou a empresa com um valor de 10% do que realmente vale. E o outro ponto de preocupação é porque o decreto que criou a CeasaMinas não prevê auferição de lucro, embora o lucro vá para o governo federal, mas esse não é o objetivo da empresa, é o bastecimento. A partir do momento que privatiza, o objetivo maior vai ser o lucro. Sendo o lucro como foco, o produto que vai chegar às gôndolas dos supermercados com o preço majorado. Isso vai pesar na mesa do consumidor”, explica a diretora do Sindsep-MG, Sânia Barcelos. 

Ela ainda destaca que hoje os lojistas têm contrato de concessão abaixo do mercado e não há uma garantia de que vão permanecer da mesma forma com a privatização. Sânia também cita a questão do Valor Adicionado Fiscal (VAF) estadual. Isso porque a CeasaMinas repassa informações sobre a circulação de mercadorias à Secretaria da Fazenda de Minas Gerais para compor o valor que é repassado aos municípios. Existe um temor de que os dados não sejam enviados ao poder público para apuração, o que prejudicaria as localidades

ENTREPOSTOS


Em operação desde 1974, a CeasaMinas conta com cinco entrepostos em todo o estado, nas cidades de Contagem, na Grande BH, Uberlândia, no Triângulo Mineiro; em Juiz de Fora e Barbacena, na Zona da Mata e em Governador Valadares e Caratinga, ambas no Vale do Rio Doce. 

Em 2020, a CeasaMinas teve receita operacional bruta de R$ 55,758 bilhões e lucro líquido de R$ 5,405 milhões, com queda de 12,27% em comparação como 2019, antes da pandemia da COVID-19. (Com informações de Cecília Emiliana)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade