Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Cesta básica tem o sexto mês seguido de alta em Belo Horizonte

Item apresentou variação acumulada de 25,54% nos últimos 12 meses, aproximadamente sete vezes acima da inflação


04/02/2021 16:39 - atualizado 09/02/2021 11:57

Cesta básica tem o sexto mês seguido de alta em Belo Horizonte(foto: EM/DAPRESS)
Cesta básica tem o sexto mês seguido de alta em Belo Horizonte (foto: EM/DAPRESS)
A cesta básica em Belo Horizonte ficou 1,68% mais cara em janeiro deste ano, em comparação com o último mês de dezembro. Esse é o sexto mês de alta em BH da cesta básica.

Em janeiro, o produto estava sendo comercializado por R$ 576,32. Os principais responsáveis por essa elevação foram o Tomate Santa Cruz (20,21%), a carne Chã de dentro (1,33%) e a Manteiga (7,93%). No mês anterior, o valor da cesta na capital ficou em R$ 520,79%.

Fatores como a pandemia do novo coronavírus, a pressão dos alimentos e a sensação de baixo poder de compra podem ser culpados por essa situação. 

A cesta básica apresentou uma variação acumulada de 25,54% nos últimos 12 meses, aproximadamente sete vezes maior que a inflação.

Já a inflação acumulada nos últimos 12 meses está em 4,70%. Para o ano de 2021, a meta definida pelo Conselho Monetário Nacional é de a 3,75%, podendo variar entre 2,25% e 5,25%.
 

Custo de vida em BH

 
O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA e pelo IPCR, também avançou no primeiro mês do ano, comparado a dezembro/2020. O indicador apresentou alta de 0,93% em janeiro. 

O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados, sendo os maiores destaques, em termos de variação, as altas de 4,05% para Alimentos in natura, de 3,30% para Bebidas em bares e restaurante e de 3,04% para Alimentação em restaurante. 

Taxas

A taxa Selic foi mantida em 2% ao ano desde a última reunião realizada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), entre 19 e 20 de janeiro de 2021, permanecendo no menor valor já observado na série histórica deste indicador.

As taxas médias de juros praticadas para pessoa física apresentaram alta na maioria dos setores ao serem comparadas às taxas do mês de dezembro.

Sobre as taxas para pessoa jurídica, a maioria também apresentou alta. Entre as taxas de captação, a maioria apresentou queda em relação ao mês anterior.
 
* Estagiária sob supervisão da editora Liliane Corrêa 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade