Publicidade

Estado de Minas Mercado virtual

Compras on-line crescem entre consumidores acima de 60 anos, diz estudo

Dos 503 entrevistados, 82% disseram que usam comércio virtual e 18% compraram pela internet pela primeira vez durante a pandemia da COVID-19


28/09/2020 19:52 - atualizado 28/09/2020 20:23

Compras on-line entre a população acima de 60 anos cresceram durante a pandemia(foto: Reprodução/Pixabay)
Compras on-line entre a população acima de 60 anos cresceram durante a pandemia (foto: Reprodução/Pixabay)
A Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), em parceria com a AGP Pesquisas, realizou a 4° edição da pesquisa sobre os hábitos de compras da população com idade acima dos 60 anos. É a quarta edição do estudo, que já tinha sido realizado em 2017, 2018 e 2019. 

Para Eduardo Terra, Presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, a pesquisa vai além do que uma simples comparação: “Realizamos esse estudo para analisar os fatores que levam esse público a consumir, que aspectos eles mais prezam em suas compras e a presença do varejo digital entre essa população. Além disso, avaliamos a experiência de compra e os aspectos mais valorizados no consumo de produtos e serviços”. 

Segundo a pesquisa, dos 503 entrevistados em todo o país com idade superior a 60 anos, 82% afirmaram que fazem compras on-line, sendo que 18% experimentaram o recurso pela primeira vez durante a quarentena.

O smartphone é utilizado por 71% deles, e 46% compram via aplicativos. O estudo mostrou ainda que 88% administram a renda em suas casas e são os responsáveis pelas compras.

Houve um grande crescimento comparado às edições anteriores da pesquisa. Em 2018, 46% disseram que compravam por meio de smartphones e, no ano seguinte, o número subiu para 64%. Já em 2017, 46% usavam aplicativos na hora da compra.

O perfil desses consumidores


Outro objetivo foi mostrar o motivo do consumo deste público, sobretudo, os locais mais frequentados. De acordo com o estudo, o consumo da maioria dos entrevistados está ligado a itens básicos.

Foi revelado que 53% dos consumidores vão semanalmente a redes de supermercado e 41% consomem semanalmente produtos de farmácias.

Além disso, a pesquisa mostrou que 30% não frequentam shoppings centers e 35% frequentam e têm itens de compras selecionados. Número maior do que o ano passado, quando foi registrada uma frequência de 30% nos shoppings. 

Sobre a experiência de compra, 84% do público aprovam as compras em supermercados – em 2019, a porcentagem de aprovação foi de 75%.

Os shoppings centers registraram uma leve queda de 68% para 65%. Já as farmácias e drogarias conquistaram o público e obtiveram 84% de aprovação.

Esses dados são referentes às experiências dos entrevistados quando realizam compras nesses locais. 

A Pesquisa


Foram entrevistados 503 consumidores pelo país e os mais importantes segmentos do varejo nacional, com faturamento acima de R$ 500 milhões anual.

Segundo o IBGE, nos próximos 20 anos a população acima de 60 anos chegará  a 88,9 milhões de brasileiros (39,2% da população). Por isso, o país está proporcionando novos métodos de compra e novos negócios.

Logo, cada vez mais, a população acima de 60 anos está se adaptando a esses recursos.

A tendência é que a população brasileira envelheça mais rápido e, por isso, a pesquisa foi realizada. O estudo trouxe uma perspectiva maior para a economia do país com base no maior público brasileiro, os idosos.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Kelen Cristina


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade