Publicidade

Estado de Minas CRISE FINANCEIRA

Latam entra com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos

Medida não abrange subsidiárias do Brasil, Argentina e Paraguai. Empresa garante que não haverá impactos nas reservas de passageiros


postado em 26/05/2020 09:41

Latam espera renegociar dívidas e ter acesso a crédito após pedido de recuperação judicial(foto: Matheus Adler/EM/D.A Press)
Latam espera renegociar dívidas e ter acesso a crédito após pedido de recuperação judicial (foto: Matheus Adler/EM/D.A Press)
O Grupo Latam entrou nesta terça-feira, nos Estados Unidos, com pedido de recuperação judicial, em função da grave crise financeira causada pela pandemia do novo coronavírus. A medida atende as divisões da companhia no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos. As subsidiárias do Brasil, Argentina e Paraguai ficaram de fora.

De acordo com o comunicado emitido pela companhia, o processo de reestruturação da Latam e as divisões citadas anteriormente está protegido pelo Capítulo 11 da lei que trata de falências nos Estados Unidos. O documento garante um prazo para que a empresa se reorganize financeiramente.

A Latam também conta com dois importantes acionistas para superar a crise financeira. De acordo com a nota, a companhia já garantiu um aporte de até US$ 900 milhões. A empresa espera conseguir renegociar dívidas e ter acesso facilitado a crédito.

“Diante dos efeitos da COVID-19 no setor mundial de aviação, esse processo de reorganização oferece à LATAM a oportunidade de trabalhar com os credores do grupo e outras partes interessadas para reduzir sua dívida, acessar novas fontes de financiamento e continuar operando, enquanto adapta seus negócios a essa nova realidade”, comunicou a Latam, por meio de nota.

Para o presidente da Latam, Roberto Alvo, no início da pandemia, a companhia fazia parte de um seleto grupo de empresas aéreas saudáveis e lucrativas. No entanto, a realidade acabou mudando de uma hora para outra.

“Implementamos uma série de medidas difíceis para mitigar o impacto dessa disrupção sem precedentes no setor, mas, no fim das contas, esse caminho é a melhor opção para estabelecermos as bases certas para o futuro do nosso grupo de companhias aéreas”, disse Alvo.

Ainda de acordo com a Latam, o pedido de recuperação judicial não terá impacto na operação e não afetará as reservas, vouchers e pontos do programa de fidelidade da companhia.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade